Produtos da agricultura familiar compõem kit de voluntários

Cerca de 1,2 mil kits serão distribuídos em Manaus só com produtos saudáveis

iG Minas Gerais | Da Redação |

A castanha da Amazônia é um dos componentes do kit para voluntários da Copa
STOCKXPERT/ARQUIVO
A castanha da Amazônia é um dos componentes do kit para voluntários da Copa

A Copa do Mundo está mexendo com a vida de agricultores de todo o país. No Acre, a castanha coletada na Floresta Amazônica faz parte do kit de alimentação que será distribuído para os voluntários que vão trabalhar nas cidades onde serão disputadas as partidas do Mundial.

Milhares de brasileiros vivem da coleta da castanha na Amazônia. Da floresta, a castanha vai para uma indústria de beneficiamento para ser descascada. Em seguida, a amêndoa é levada para a Cooperacre, Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre, em Rio Branco, onde é embalada a vácuo.

As castanhas que mais de 2 mil famílias cataram, produziram e trataram serão consumidas por várias pessoas em todas as regiões do país. A cooperativa vendeu 2 toneladas do produto, que será distribuído entre os voluntários da Copa do Mundo.

Cada um deles vai receber um kit de lanche com produtos da agricultura familiar. Cooperativas de todo o Brasil se inscreveram para fornecer os alimentos. A CooperAcre mandou as castanhas para avaliação e depois de aprovadas foi preciso correr para dar conta de tudo. Ao todo, 20 mil pacotes com 100 gramas cada foram produzidos.

A castanha é um dos nove itens que fazem parte do kit de alimentação saudável. Cerca de 1,2 mil kits estão previstos para serem distribuídos em Manaus.

Além da castanha, o kit contém outros alimentos orgânicos. “A gente tem a castanha, temos a barrinha, os sucos que vieram da região Sul, temos a castanha de baru, que é típica da região Centro-Oeste, temos o mel que veio da Bahia, os biscoitos e as frutas desidratadas, que foram produzidas na região Sul e Nordeste”, diz Ana Paula Alvarenga, assistente técnica do Ministério do Desenvolvimento.

A voluntária Denise Coelho foi retirar os alimentos e está animada com a oportunidade de participar da Copa. Ela vai trabalhar repassando informações no entorno do estádio durante os quatro jogos do Mundial que vão acontecer em Manaus. “Esses alimentos vão me dar mais energia para aguentar porque eu estou morrendo de vontade, estou com garra mesmo e quero mostrar para o Brasil como o nosso Amazonas está de braços abertos esperando o turista", diz.

O primeiro jogo em Manaus vai ser amanhã (14), com a partida entre Inglaterra e Itália.

 

Leia tudo sobre: castanhasagricultura familiarManaus