Lavezzi sai na frente por vaga

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro |

JOAO GODINHO / O TEMPO
undefined

Ao menos no primeiro coletivo da seleção da Argentina que a imprensa pôde acompanhar na Cidade do Galo, o atacante Lavezzi ganhou a concorrência direta com Higuaín por uma vaga no quarteto fantástico.

Durante os poucos minutos em que os jornalistas puderam acompanhar a atividade, o jogador do PSG esteve de colete ao lado de Di María, Messi e Agüero. Enquanto isso, o camisa 9 estava na equipe reserva.

Porém, informações de bastidores apontam para a troca entre os dois jogadores da linha de frente na segunda parte da atividade dessa quinta. Com isso, o titular reassumiu a sua posição.

Ao que tudo indica, Lavezzi tem sido e será titular até que Higuaín esteja no melhor de sua forma física e técnica. O artilheiro vem de uma lesão no tornozelo esquerdo e só nessa quinta foi liberado pelos médicos para fazer um trabalho com bola.

Alejandro Sabella é conhecido por ser misterioso e gostar de treinamentos secretos para não dar pistas aos adversários. Nessa quinta só foi possível ver o time titular graças à persistência dos jornalistas que estiveram presentes no CT do Atlético.

O combinado inicial seria a abertura de uma janela para registrar imagens durante apenas 15 minutos. Com o período encerrado, e nele os jogadores apenas formaram uma roda de bobinho, o chefe de imprensa argentino, Coco Ventura, pediu para que o local fosse esvaziado, mas não foi atendido. Os profissionais que estão cobrindo o dia a dia da seleção hermana ficaram por mais 10 minutos e puderam ver as formações titular e reserva.

A equipe que iniciou a atividade teve: Romero, Zabaleta, Fernández, Garay e Rojo; Mascherano e Gago; Di María, Messi, Lavezzi e Agüero. Nesta sexta de manhã mais um treino será realizado, com o mesmo esquema de apenas 15 minutos abertos para a imprensa, com as entrevistas coletivas na sequência.

Pelo visto, até a estreia deverá haver dúvida apenas entre os dois atacantes que disputam a vaga, já que o restante da equipe está bem definido e só sofrerá alteração em caso de alguma lesão de última hora.

Farías visita amigos O atacante Ernesto Farías foi à Cidade do Galo. O jogador, que tem contrato com o Cruzeiro, mas não vem sendo usado, aproveitou a presença da seleção da Argentina para visitar amigos. O jogador teve a companhia do filho Bautista e uma câmera para registrar fotos do herdeiro com os astros da albiceleste. Logo que chegou, El Tecla foi conduzido até o staff da seleção e se dirigiu à primeira fileira das cadeiras para ver o treino. Enquanto a imprensa teve que deixar o local da atividade, o centroavante pôde continuar assistindo e ficou esperando para abraçar seus compatriotas.

Plantão médico O técnico Alejandro Sabella vai deixando as preocupações com o departamento médico de lado e já tem quase todo o grupo à disposição para o primeiro jogo da Copa do Mundo, contra a Bósnia, neste domingo, às 19h, no Maracanã. O zagueiro Garay está 100% recuperado de um problema na perna direita e garante presença na estreia caso o treinador o escale. “A lesão já ficou para trás. Estou à disposição do treinador”, disse o defensor. O volante Biglia vai se recuperando de torção no joelho, assim como o atacante Palacio.

Proibido tietar os jogadores hermanos Nada de autógrafos, fotos de treino, muito menos o famoso selfie. Quem trabalha na Cidade do Galo durante a passagem da seleção argentina pelo local tem que se dedicar integralmente ao trabalho do dia a dia e esquecer que grandes craques do mundo da bola estão por perto. Todos os funcionários do centro de treinamento estão proibidos de ter qualquer contato mais próximo com os jogadores hermanos. O jardineiro Leandro de Assis trabalha no CT do Atlético há quatro meses, mas entende a determinação e não se importa. “Fomos comunicados de que não podemos tirar foto nem pegar autógrafo. Por mim tudo bem, sou mais reservado”, disse.

Barrados na porta Quando o treino e as entrevistas coletivas já haviam acabado e todos os jornalistas deixavam a Cidade do Galo, o lado de fora reservou um princípio de confusão. Alguns profissionais da imprensa tinham a credencial da Fifa, mas foram barrados. “O delegado da Fifa falou mentira, pois Coco Ventura, o chefe de imprensa da Argentina, nos disse que nem sabia que estávamos aqui fora”, contou o jornalista argentino Alday, que, em meio a um começo de tumulto, alegou ter sido empurrado por policiais militares. O argentino tinha um ferimento no cotovelo pela queda. Já o italiano Emanuele Gamba, do jornal “La Repubblica”, também estava revoltado. “O responsável da Fifa não se explicou. Chegou selecionando quem ia ou não entrar. Disseram que, como não chegamos às 10h (horário do início do treino), não poderíamos entrar. Só acho incrível a federação argentina não ter ficado sabendo”, relatou Gamba.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave