Um duelo que interessa diretamente ao Brasil

iG Minas Gerais | Victor Martins |

Camaroneses afirmam que o ambiente da equipe melhorou
SERGEI GRITS/AP PHOTO
Camaroneses afirmam que o ambiente da equipe melhorou

A segunda partida da Copa do Mundo interessa, e muito, a Luiz Felipe Scolari e aos torcedores da seleção brasileira. Depois de vencer a Croácia na estreia, o Brasil acompanha o duelo entre México e Camarões, as outras duas equipes do grupo A e, portanto, os dois próximos adversários do time de Felipão no Mundial. A segunda partida da competição vai ser disputada às 13h, na Arena das Dunas, em Natal.  

Com problemas para embarcar e com uma seleção já sem tantos talentos como teve em Copas passadas, Camarões aposta no faro de gol do atacante Samuel Eto’o. Mesmo com 33 anos, o jogador mantém no Chelsea o alto nível de exibição dos tempos de Barcelona. A maturidade, aliás, é apontada como o fator-chave dessa equipe, que fracassou na África do Sul, em 2010.

Se há quatro anos Camarões não marcou um ponto sequer, quando perdeu todos os jogos para Japão, Dinamarca e Holanda, agora o meia Stephane Mbia diz que o ambiente dentro do grupo é bem melhor. Outro fator que pesa é a experiência adquirida com o fracasso de 2010. “Não deixamos uma boa impressão na África do Sul ao perder os três jogos. Não havia um ambiente bom na equipe naquele tempo, mas desta vez é diferente, o clima é bom. Mais da metade dos jogadores convidados para a concentração pré-Copa na Áustria em maio já tinha jogado na África do Sul. Ficamos mais velhos, mais maduros e mais experientes”, afirma.

Curiosamente, os jogadores camaroneses chegaram ao Brasil com um dia de atraso, já que se recusaram a viajar por não concordarem com a premiação oferecida pela confederação do país para os jogos no Brasil. O México, que não tem nada a ver com isso, chega animado como sempre. Embora a seleção não tenha grande tradição na Copa, a torcida mexicana sempre é uma das mais animadas e confiantes. A prova disso está nas ruas de Natal, já com milhares de turistas mexicanos.

Vencer para manter a empolgação é muito mais do que uma vontade da torcida. É uma necessidade do time. Afinal de contas, o segundo compromisso do México na Copa do Mundo é contra o Brasil. Daí a importância de começar muito bem a competição. “O jogo mais importante é o primeiro. Os meninos agora têm em suas cabeças bater Camarões, o que lhes daria a força e a coragem para enfrentar o Brasil”, disse o técnico Miguel Herrera, que comanda a seleção mexicana desde outubro do ano passado.

Arena das Dunas Inaugurada no começo deste ano, a Arena das Dunas vai receber seu primeiro grande teste. Embora já tenha sediado 19 partidas do América-RN e do ABC, em jogos do Campeonato Estadual, da Copa do Nordeste e da Série B, pela primeira vez o novo estádio de Natal deve ter um público superior a 20 mil pagantes. Segundo o site oficial da Fifa, a Arena das Dunas está liberada para 38.958 torcedores, e o público total vai ficar bem perto desse número. Os ingressos para México x Camarões não estão esgotados, mas estão disponíveis apenas entradas do setor 1, o mais caro, que custam nada menos do que R$ 350. Também ainda há bilhetes para usuários de cadeiras de rodas, ao custo de R$ 180.

O homem do apito O juiz de México x Camarões vai ser o colombiano Wilmar Roldan, 34. O árbitro é conhecido pelo torcedor do Atlético, afinal, foi ele que apitou a partida final da Copa Libertadores de 2013, entre Atlético e Olimpia. E, apesar da pouca idade, o juiz já tem uma vasta experiência internacional. Roldan apitou um jogo da Primeira Divisão do seu país com apenas 23 anos. Aos 28, já estava no quadro de árbitros da Fifa, tornando-se o mais jovem juiz numa partida de Libertadores, quando apitou Boca Juniors x Atlas, do México, em 2008. Além da final entre Galo e Olimpia, ele também foi o juiz da decisão entre Corinthians e Boca, em 2012. Além das partidas eliminatórias para a Copa, Wilmar Roldan esteve no Mundial sub-20 de 2013.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave