Justiça suspendeu programas

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Desde o dia 21 de maio, a Justiça Eleitoral determinou a retirada do ar, adequação ou suspensão de propagandas veiculadas pelo governo de Minas, e pelos partidos PTB, PP e PSD (neste último caso, o pedido foi revogado) na televisão e no rádio. Os três partidos citados são aliados e integram a coligação “Todos por Minas”, encabeçada pelo PSDB. Em todos os casos, o PT entrou com ações contra as peças.  

No caso do governo de Minas, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) determinou a retirada da seguinte frase: “Continuar e fazer sempre mais. Esse é o compromisso com Minas Gerais.”

Com relação ao PP, o tribunal pediu que a propaganda fosse adequada por conter “inserções que enaltecem as figuras de pré-candidatos”, o que configuraria propaganda extemporânea. Já o PTB levou ao ar um vídeo em que o pré-candidato do PT, Fernando Pimentel, recebe apoio do ex-governador Newton Cardoso (PMDB) e questiona se essa era o “tipo de aliança” que Minas queria.

A Justiça Eleitoral suspendeu a propaganda, que tem sido compartilhada na última semana de forma massiva pelo WhatsApp – um aplicativo de trocas de mensagens instantâneas – por usuários com números registrados em outros países. O departamento jurídico do PT ainda investiga o que fazer neste caso. 

WhatsApp

Negativa. O PSDB negou que tenha relação com o compartilhamento do vídeo pelo WhatsApp. “As redes sociais são terreno de expressão individual”, diz o presidente do partido em Minas, Marcus Pestana.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave