DEM não cede e lançará nome

iG Minas Gerais |

Rio de Janeiro. Aliado preferencial do PSDB desde o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o DEM decidiu manter a candidatura própria ao governo do Rio de Janeiro. O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, havia pedido ao partido que apoiasse a candidatura de reeleição de Luiz Fernando Pezão (PMDB), como forma de reforçar o movimento “Aezão” (apoio informal do PMDB à candidatura tucana à presidência e a Pezão no Rio).  

Em reunião anteontem com Aécio, o presidente nacional do DEM, senador José Agripino (RN), e outros líderes do partido comunicaram ao tucano a decisão.

Agora, Aécio terá que decidir entre a aliança com o pré-candidato do DEM ao governo do Rio, o ex-prefeito Cesar Maia, ou apoio à reeleição do governador Pezão. O tucano tentou convencer Maia a desistir da disputa, mas ouviu de Agripino que o partido não abre mão do Rio, terceiro colégio eleitoral do País, com 12 milhões de eleitores.

Assim como o PSDB, o DEM perdeu espaço no Rio de Janeiro e, nas últimas eleições, teve desempenho pífio em disputas para governador e prefeito ou nem sequer lançou candidaturas próprias. “Cesar Maia tem apoio do Democratas e isso ficou bem claro para o Aécio. Abrimos mão de candidaturas em vários Estados. No Rio, houve um entendimento anterior de aliança com o PSDB. É um pleito do Democratas no plano nacional”, disse Agripino.

“Queremos coligação com o PSDB até pelo histórico da aliança. O PMDB que apoia Aécio é uma dissidência, os principais líderes apoiam a presidente Dilma Rousseff", afirmou o deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave