Tucanos ajudaram na apuração

Pré-campanha tucana informou os IPs dos suspeitos e Promotoria pediu busca e apreensão

iG Minas Gerais |

Torcida. Aécio Neves assiste ao jogo do Brasil ao lado de sua mulher, Letícia Weber, em clínica no Rio
Orlando Brito / PSDB - Divulgação
Torcida. Aécio Neves assiste ao jogo do Brasil ao lado de sua mulher, Letícia Weber, em clínica no Rio

Rio de Janeiro. Coordenador jurídico da pré-campanha do senador Aécio Neves à Presidência da República, o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), afirmou nessa quinta ao jornal “O Globo” que eles mesmos entregaram ao Ministério Público do Rio e de São Paulo os nomes das pessoas que deveriam ser investigadas por criar e alimentar páginas contra o presidenciável tucano na internet. Nessa quarta, a Justiça executou mandados de busca e apreensão contra seis pessoas suspeitas de difamar Aécio na web e apreendeu computadores, câmeras fotográficas e outros aparelhos eletrônicos.  

O PSDB localizou duas páginas na internet que, segundo eles, difamavam Aécio. Diante disso, a pré-campanha entrou na Justiça de São Paulo para saber o IP da rede de computadores que alimentavam os sites. Chegaram à rede da Eletrobras no Rio e à secretaria de comunicação da prefeitura de Guarulhos, na Grande São Paulo, que é de gestão petista.

“Quando você entra na Justiça mostrando que determinada página está veiculando notícias criminosas contra uma determinada pessoa, seja candidata ou não, a Justiça defere o eles chamam de quebra do IP. Quando defere, ela (a Justiça) diz que quem está enviando essas mensagens é o computador daquela sala lá. Foi aí que descobrimos a Eletrobras e a prefeitura de Guarulhos”, explicou Sampaio.

Depois disso, o setor jurídico da pré-campanha de Aécio entrou com uma representação no Ministério Público do Rio, no último dia 26 de maio, e no MP de São Paulo uma semana depois, para que a instituição apurasse o caso.

“Os nomes das pessoas envolvidas constam na representação. Ele (promotor Luís Otávio Figueira Lopes) que quis a busca e apreensão”, afirmou Sampaio, que é promotor de Justiça.

O deputado explicou que a pré-campanha de Aécio tinha duas opções para que a investigação fosse feita. “Nós tínhamos dois caminhos diante da constatação da existência de uma quadrilha virtual atuando junto à Eletrobras e junto a Guarulhos. Nós poderíamos pedir a instalação de inquérito policial, e a polícia investigar, ou diante das provas robustas que já tínhamos, os IPs já tinham sido quebrados, já tínhamos investigado as pessoas, aí representamos ao MP”, justificou.

O promotor instaurou o procedimento e pediu à Justiça a busca e apreensão na casa dos suspeitos. O juiz autorizou. Sampaio não soube dizer, no entanto, se as seis pessoas que foram alvos dos mandados são as mesmas listadas na representação.

O caso corre sob sigilo. No Rio, o caso caiu na promotoria especializada em investigar crimes virtuais, área que não tem no MP de São Paulo.

Evidências

Cuidado. Segundo Sampaio, o promotor optou pela busca e apreensão para evitar que as evidencias contra os suspeitos pudessem ser destruídas. Sampaio disse que não sabia do procedimento.

PMDB negará dinheiro para rebeldes Brasília. Passada a convenção que sacramentou o apoio do PMDB à reeleição da presidente Dilma Rousseff, a ala ligada ao vice-presidente Michel Temer está focada agora na construção do maior número de palanques governistas possíveis. Mas já decidiu também que os infiéis não passarão incólumes: a direção nacional pretende não repassar recursos para os estados onde o partido estiver integralmente apoiando Aécio Neves (PSDB) ou Eduardo Campos (PSB). Na lista estão Ba, GO, ES, RJ, RS, PB e CE.

Sitiada Holofote. Aécio Neves disse nessa quarta que Dilma Rousseff é uma “presidente sitiada”, ao se referir à participação da petista na abertura da Copa do Mundo no Brasil. Risco. Dilma não fez discurso durante a abertura, e chegou a ser xingada em pelo menos quatro momentos. Frase. “O que fica para a história é que nós tivemos uma Copa do Mundo onde o chefe de Estado não se vê em condições de se apresentar à população. Isso é reflexo do que está acontecendo no Brasil. Nós temos hoje uma presidente sitiada, uma presidente que só pode aparecer em eventos públicos protegida. É dessa forma que ela fará campanha”, afirmou o tucano, em vídeo divulgado por sua assessoria.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave