A dança do corpo com a tecnologia

Grupo, com designers, performers e bailarinos, dá sequência à trilogia “Miradas do Caos”, que começou no ano passado

iG Minas Gerais | Da Redação |

A performer Fernanda Preta em cena do primeiro espetáculo da trilogia
3º Corpo / divulgação
A performer Fernanda Preta em cena do primeiro espetáculo da trilogia

O grupo 3º Corpo deu início, no ano passado, à trilogia “Miradas do Caos”, em que mergulha na contemporaneidade e assume a tecnologia como parceira de dança. Hoje, a companhia volta aos palcos com a segunda parte da apresentação, “Miradas do Caos #2”, em temporada até 18 de junho no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna.

A ideia é apresentar o caos de forma poética. Em cena, os performers Fernanda Preta e Paulo Chamone interagem com imagens e sons executados ao vivo, por meio do uso de dispositivos tecnológicos pelo designer de interação Luiz Naveda e do produtor visual Julião Villas, sob direção de Dudude Herrmann.

No palco, expressões diversas são misturadas: há dança, performance e audiovisual, apresentadas em interações com a tecnologia.

O primeiro espetáculo se concentrou sobre as relações sociais e, desta vez, aborda a associação entre homem e meio ambiente, e suas implicações no plano ético-político. O espetáculo se volta ao atual quadro de instabilidade no planeta causado por catástrofes naturais e pela ação humana.

A performance busca o entendimento do indivíduo como parte fundamental dos agenciamentos ambientais e pretende estender a noção de ecologia ao universo urbano, em que micropolíticas associadas ao ambiente podem configurar ações efetivas nesse meio.

Tempo real. O aparato tecnológico que vai ser usado em cena inclui câmeras, projetores e softwares como o Pure Data e dispositivos como o Kinect. O resultado é uma performance surgida em tempo real, a partir dos movimentos dos bailarinos, e não imagens pré-concebidas e projetadas. A vertente da computação que explora a captura de movimentos é chamada motion-capture.

Serviço. “Miradas do Caos #2”. De hoje a 18 de junho (exceto 16), sempre às 20h, no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna. (Av. Afonso Pena, 4001, Mangabeiras. Ingressos: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia-entrada).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave