Nova linha tem baixa procura

No primeiro dia de circulação, ônibus turístico chama mais atenção de moradores que de visitantes

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Diferente. Veículo da nova linha não passou desapercebido por causa das cores diferentes das convencionais
Uarlen Valério
Diferente. Veículo da nova linha não passou desapercebido por causa das cores diferentes das convencionais

A nova linha turística de Belo Horizonte – ST01 Circuito Turístico Centro-Sul – começou a circular nessa quinta sem atrair sequer um visitante brasileiro ou estrangeiro pela manhã. Mas, apesar da baixa adesão, não faltaram moradores da própria capital e região metropolitana interessados no serviço. Logo nos primeiros trajetos, ficou evidente que o ônibus, focado em mostrar o que a cidade tem de melhor, vai expor também um dos principais problemas do município: o trânsito congestionado.

Para servir bem moradores e turistas, a linha também precisa de ajustes, como divulgação do serviço, exibição de vídeos dentro do coletivo sobre os locais de visitação e sistema de áudio que indique o que o passageiro pode encontrar em cada ponto de embarque e desembarque. A Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) informou que adaptações ainda serão feitas na próxima semana.

A reportagem de O TEMPO acompanhou o funcionamento da linha na manhã dessa quinta e, nos dois ônibus que se revezam no itinerário, só entraram profissionais da imprensa e um casal de moradores de São José da Lapa, na região metropolitana, que ia resolver questões bancárias na praça Sete. “Pegamos essa linha porque a nossa ia demorar dez minutos para passar. Hoje não vamos passear, mas gostei da ideia e pretendo usar o serviço outras vezes”, relatou o projetista Adelson Venâncio de Macedo, 41.

No ponto inicial, na praça da Estação, vários curiosos abordaram os motoristas para saber que linha colorida era aquela. “Que ótima ideia, assim poderei conhecer um pouco melhor a cidade”, afirmou o aposentado Francisco Herculano Pereira, 67, que sempre morou em Santa Luzia, na região metropolitana, mas disse que nunca arrumou muito tempo para passear por Belo Horizonte.

O condutor ambiental Jeferson Henrique Carvalho, 26, também aprovou a novidade. “Trabalho no parque da serra do Curral e o local precisava mesmo de um ônibus que estimulasse a visitação”, disse. Nos fins de semana e feriados, o itinerário da linha inclui a área e também o parque das Mangabeiras.

O motorista Joaquim Antônio Apolinário, 44, sentiu falta de panfletos para entregar aos interessados. Mesmo sem o material e sem falar outro idioma além do português, ele e o outro condutor da linha, Arlindo Ferreira, 36, tinham muita boa vontade em explicar os detalhes. Eles acreditam que, com a falta de faixas exclusivas no itinerário, a linha pegará trânsito intenso durante a semana, principalmente nas avenidas do Contorno, Cristóvão Colombo e Prudente de Morais.

Ajustes Trânsito. Em coletiva nessa quarta, o prefeito Marcio Lacerda disse que está trabalhando na ampliação de faixas exclusivas para ônibus – em 18 meses, serão quase 100 km, segundo ele. Divulgação. A Belotur informou que folhetos de divulgação bilíngues começam a ser distribuídos na próxima semana. O órgão também promete instalar, em data não informada, um sistema de áudio e vídeo no ônibus sobre os pontos turísticos. Pontos. Sobre a falta de informações nos pontos de ônibus, a BHTrans informou que a divulgação está sendo feita pela internet, por redes sociais e também nos hotéis e nos Centros de Atendimento ao Turista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave