Protesto em Belo Horizonte termina com 12 detidos e dois feridos

Entre os detidos, há dois suspeitos de participar da depredação de uma viatura da Polícia Civil na avenida João Pinheiro; um militar e um fotógrafo ficaram feridos durante a manifestação

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

POLÍCIA MILITAR / DIVULGAÇÃO
undefined

O protesto desta quinta-feira (12) em Belo Horizonte terminou com 11 pessoas presas e uma adolescente apreendida pela prática de atos de vandalismo, segundo balanço divulgado pelas Polícias Militar e Civil. Entre os detidos, há dois suspeitos de participar da depredação de uma viatura da Polícia Civil na avenida João Pinheiro.

De acordo com a nota divulgada pelas corporações, um policial militar foi levado para o Hospital da Polícia Militar (HPM) depois de ser ferido por uma pedra, atirada por vândalos. O repórter fotográfico Sérgio Moraes, de 52 anos, da Agência Reuters, também foi ferido durante o ato na praça Sete e está internado no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em observação.

Protesto

Durante a manifestação desta tarde, o entorno da praça da Liberdade, no bairro Lourdes, região Centro-Sul de Belo Horizonte, acabou ficando marcado pelo rastro de destruição deixado por alguns manifestantes. Quando o grupo formado por cerca de 500 pessoas chegou ao local onde fica o relógio da Copa, policiais atiraram bombas para dispersá-los e um confronto teve início.

A concentração dos manifestantes aconteceu na praça Sete, para onde eles retornaram, passando pela avenida João Pinheiro. A fachada do prédio do Detran foi pichada e pontos de ônibus foram depredados. Uma empresária, de 34 anos, teve uma das janelas de seu apartamento quebrada por uma pedra. Próximo ao Detran, uma viatura da Polícia Civil foi depredada.

Agências bancárias foram quebradas e tapumes foram arrancados. Durante a tarde, alguns comerciantes fecharam as portas com medo da ação dos vândalos.

 

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave