Estudos sobre teias de aranhas deve ajudar na criação de sensores

Em testes, pesquisadores britânicos descobriram que tais animais conseguem precisar o tipo de presa que caiu em seu emaranhado apenas pela vibração

iG Minas Gerais | Douglas Quenqua |

Pamela Belding via The New York Times
undefined

Como as cordas de um violão, a seda da aranha pode vibrar com uma ampla gama de frequências, transmitindo informações sobre a presa, outras aranhas e até da condição da teia em si, concluíram pesquisadores.

Aranhas não enxergam direito e sabe-se que recorrem às vibrações das teias para serem alertadas da presença de presas. Para descobrir mais sobre as vibrações, cientistas britânicos dispararam lasers e balas em fios individuais e usaram câmeras de velocidade ultrarrápida para gravar os resultados. Descobriram que os fios vibravam numa ampla gama de harmônicos comparados a outros materiais e que o tipo de vibração variava segundo o tipo de impacto e a qualidade da seda individual.

De acordo com a pesquisa, as vibrações ajudam a aranha a determinar que tipo de presa caiu em sua teia. Elas também podem produzir tipos diferentes de seda dependendo de suas necessidades, basicamente "afinando" suas teias de acordo com o ambiente e condições de caça. O estudo foi publicado no periódico "Advanced Materials".

"Sedas de aranha são singulares no sentido de que o animal pode escolher suas propriedades", disse Beth Mortimer, aracnóloga da Universidade de Oxford, e principal pesquisadora do estudo. "Isso permite que a aranha tenha ferramentas para responder a condições de umidade diferentes ou à disponibilidade de diferentes tipos de presas".

As conclusões poderiam ajudar no desenvolvimento de novas tecnologias, tais como sensores ou microfones pequenos e leves.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave