Morre aos 91 anos a atriz e ativista de direitos civis Ruby Dee

Ela morreu em sua casa na cidade de New Rochelle, no Estado americano de Nova York, devido a "causas ligadas à idade", segundo seu agente, Michael Livingston

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A atriz, poeta e ativista de direitos civis Ruby Dee morreu na quarta-feira (11), aos 91 anos. As informações são da revista "The Hollywood Reporter".

Ela morreu em sua casa na cidade de New Rochelle, no Estado americano de Nova York, devido a "causas ligadas à idade", segundo seu agente, Michael Livingston, afirmou à publicação.

Dee foi indicada ao Oscar em 2007, quando trabalhou com o cineasta Ridley Scott e contracenou com Denzel Washington no filme "O Gângster". Nos EUA, teve uma carreira longeva no teatro, onde atuou em peças como "A Raisin in the Sun", em 1961, e "Purlie Victorious", em 1963.

Foi a primeira atriz negra a protagonizar uma peça no Festival Americano de Shakespeare, em Stratford, com o espetáculo "Rei Lear", em 1965. Em 2001, ao lado de seu marido, Ossie Davis (morto em 2005), recebeu um prêmio pelo conjunto de sua obra do Screen Actors Guild, o sindicato dos atores americanos.

Os dois fizeram juntos a série aclamada "With Ossie & Ruby", da emissora de TV PBS, em 1981. No cinema, seus trabalhos incluem "Faça a Coisa Certa" (1989) e "Febre da Selva" (1991), de Spike Lee, e o faroeste "Um por Deus, Outro pelo Diabo" (1972), quando contracenou com Sidney Poitier, seu colega dos tempos das aulas de teatro em Nova York, na década de 1940.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave