Dilma vai à abertura ao lado de oito chefes de Estado mas não discursa

Diferentemente da Copa das Confederações, presidente não tomará a palavra; na ocasião ela foi vaiada

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA |

TSE rejeita multa a Dilma por propaganda antecipada
Associated Press
TSE rejeita multa a Dilma por propaganda antecipada

São Paulo (SP). A presidente Dilma Rousseff virá ao Itaquerão para a cerimônia de abertura e a partida inaugural entre Brasil e Croácia acompanhada de oito chefes de Estado e do secretário-geral da Onu, Ban Ki-moon.

Diferentemente do que aconteceu na Copa das Confederações, Dilma não vai discursar, assim como o presidente da Fifa, Joseph Blatter. No ano passado, os dois foram vaiados ao declarar aberta a competição.

Oficialmente, a Fifa disse que mudou a estratégia do ato de abertura, que será feito por três crianças soltando pombos da paz.

Antes de seguirem para o estádio na tarde desta quinta-feira, os chefes de Estado participarão de um almoço em um hotel em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo.

Estarão no estádio o primeiro-ministro da Croácia, Zoran Milanovic, o presidente da Bolívia, Evo Morales, a presidente do chile, Michelle Bachelet, o presidente do Equador, Rafael Correa, o presidente do Gabão, Ali Bongo, o vice-presidente de Gana, Kwesi Amissah-Arthur, o presidente do Paraguai, Horacio Cartes, e o presidente do Suriname, Dési Bouterse.

Na manhã desta quinta-feira, Dilma Roussef já se encontrou com a presidente do Chile, Michelle Bachelet, que informou que 1.000 chilenos estão cruzando as fronteiras do país de carro e que, a previsão, é 40 mil torcedores do país na Copa do Brasil.

Bachelet fez uma brincadeira com Dilma dizendo que espera que o Chile enfrente o Brasil logo nas oitavas de final.

Esportistas

Entre as personalidade ligadas ao esporte, a Fifa confirmou a presença de todos os embaixadores da Copa, como Ronaldo, Bebeto, Carlos Alberto Torres e Amarildo. A exceção será Zagallo, que não foi liberado pelos médicos por causa de problemas de saúde.