Duelo de dois continentes com favoritismo europeu

iG Minas Gerais | Victor Martins |

Michel Spingler/AP
undefined

Duas equipes do continente americano contra duas equipes da Europa. Assim ficou o grupo E, que, apesar da presença da França, tem como cabeça de chave a Suíça. E por tudo o que fizeram nos últimos anos e pelas opções de cada treinador, é difícil imaginar outro resultado que não a classificação dos europeus, decidindo entre eles, no jogo do dia 20 de junho, na Fonte Nova, em Salvador, quem leva o primeiro lugar.

Sem poder contar com Franck Ribéry, cortado uma semana antes do Mundial, a França tem Karim Benzema como seu grande craque entre os 23 convocados por Didier Deschamps para a Copa do Mundo de 2014. Apesar de centroavante, Benzema usa a camisa 10 na seleção francesa e garante estar em ótima forma.

No Brasil, a França tenta apagar o fiasco que foi a participação na África do Sul. E no que depender do histórico recente dos franceses no Mundial, é de se esperar outra grande campanha. Ausente em 1994, a França faturou o título na edição seguinte. Depois de cair logo na primeira fase em 2002, disputou outra final na Copa seguinte, e acabou sendo derrotada pela Itália.

Então, depois de cair na fase inicial na África do Sul, quando teve problemas até dentro do grupo, como a exclusão do atacante Anelka, os franceses voltam a confiar num camisa 10. Depois de Platini e Zidane, chegou a vez de Benzema.

Equador e Honduras entram no Mundial em busca de uma classificação improvável, já que pela frente têm um campeão do mundo e o famoso ferrolho suíço, que sofreu apenas um gol nas últimas sete partidas de Copa do Mundo. Aliás, em 2006, França e Suíça ficaram no mesmo grupo e apesar da tradição e do favoritismo dos franceses, o primeiro lugar do grupo ficou com a Suíça.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave