Argentino passa por cirurgia e se recupera no Hospital João XXIII

Torcedor teve o dedo quebrado, na noite de segunda-feira (9), enquanto segurava a bandeira de seu país na rua Conde Pereira Carneiro, no bairro Gameleira, na região Oeste da capital

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

A bandeira da Argentina foi partida ao meio, mas o biólogo Ruben Francisco Lucero, 34, passou por cirurgia na tarde desta quarta-feira (11) e se recupera no Hospital João XXIII. Ele teve o dedo quebrado por três homens na noite de segunda-feira (9), enquanto segurava a bandeira de seu país na rua Conde Pereira Carneiro, no bairro Gameleira, na região Oeste da capital. A agressão foi a primeira registrada até agora em Belo Horizonte envolvendo torcedores de outros países na Copa.

“Não entendo porque queriam a bandeira, que para eles não representa nada, mas para mim representava muito”, contou o argentino, que havia herdado da família o símbolo de seu país quando se mudou para o Brasil, há dois anos.

Ele disse que levava a mulher para um curso, junto com um amigo e a filha de dois anos. Sentado no banco do passageiro, na parte da frente do veículo, ele estendeu parte da bandeira para fora do carro, assim como viu alguns chilenos fazerem na rua durante o trajeto. “Ainda pedi que ele deixasse apenas um pedaço pequeno da bandeira para o lado de fora, para não atrapalhar o trânsito”, relatou a mulher dele e brasileira Júnia Paula da Silva, 33.

Quando passavam perto do Hospital Galba Veloso, três homens se aproximaram e puxaram a bandeira das mãos de Lucero. O argentino tinha parte do tecido enrolado em seus braços e tentou evitar que levassem o objeto.

“Foi horrível, minha filha começou a gritar “papai, papai”. Fiquei com medo do que eles poderiam fazer contra meu marido”, relatou Júnia. Ela e Lucero disseram que os homens não falaram nada, apenas tomaram a bandeira e foram embora. O argentino ainda saiu do carro, mas na briga de força, o tecido branco e azul foi rasgado ao meio. “Jamais esperava ser agredido no Brasil por sair com a bandeira de meu país”, disse o biólogo.

Com um dedo da mão esquerda quebrado, a família seguiu direto para o Hospital João XXIII, onde Lucero foi internado e passou por cirurgia. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, ele permanecerá internado até hoje em observação por conta do efeito de medicamentos.

Ele e a mulher acreditam que os agressores eram brasileiros e, possivelmente, estudantes de instituições de ensino localizadas na região. Eles pretendem prestar boletim de ocorrência assim que Lucero sair do hospital e solicitar imagens de câmeras de vigilância. “Já pensávamos em morar na Argentina este ano. Agora, certamente vamos nos mudar daqui”, concluiu Júnia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave