Procuradoria cria núcleo de análise para identificar casos mais graves

Essa será uma forma de aprimorar a argumentação do procurador nestes casos e aumentar a chance de vitória no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Estado em julgamentos que envolvam a identificação de candidatos fichas-sujas

iG Minas Gerais | Larissa Arantes |

A Procuradoria Regional Eleitoral em Minas Gerais criou um núcleo de análise de processos para identificar os casos mais graves, como os de corrupção eleitoral, e dará início, na próxima segunda-feira, a um mutirão de avaliação desses casos.

Essa será uma forma de aprimorar a argumentação do procurador nestes casos e aumentar a chance de vitória no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Minas em julgamentos que envolvam a identificação de candidatos fichas-sujas. A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (11) pelo Procurador Regional Eleitoral Patrick Martins, em conversa com jornalistas na sede do Ministério Público Federal (MPF), na capital.

A partir de segunda-feira, o TRE vai fazer um mutirão, aumentando de oito para 15 sessões de julgamento por mês, com a meta de analisar cerca de 60 processos em cada uma delas – entre ações antigas e novas.

A estimativa do procurador é a de que, dos cerca de 2.000 candidatos que tentarão se registrar no Estado, 10% serão barrados como fichas-sujas.

Leia tudo sobre: Procuradoria