Blatter anuncia candidatura e propõe usar o replay no futebol

Dirigente disse que tem muita a fazer ainda no cargo. Uma das coisas pode ser a implantação do recurso tecnológico em lances polêmicos

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Blatter está na FIFA desde 1998 e quer o quinto mandato
FIFA/ Divulgação
Blatter está na FIFA desde 1998 e quer o quinto mandato

O discurso de encerramento do congresso da Fifa, nesta quarta-feira (11), feito pelo presidente da entidade, Joseph Blatter, teve um momento já esperado e uma grande surpresa.

O dirigente suíço, que dirige a entidade desde 1998, cumpriu o que se esperava e anunciou que será candidato a um quinto mandato na eleição de maio do próximo ano.

"Minha missão não acabou. Juntos, vamos construir a nova Fifa. A decisão é de vocês. Posso dizer para vocês que estou pronto para continuar, mas é sua decisão", disse o cartola, que recebeu aval do conselho para participar do pleito depois do veto das propostas de limitação de idade e número de mandatos.

Depois, veio a surpresa. De forma discreta, não como uma proposta, mas apenas levantando como um assunto a ser discutido, Blatter cogitou pela primeira vez, pelo menos em público, o uso de replays para solucionar lances polêmicos no futebol.

O presidente não pretende liberar totalmente o uso de tecnologia, mas admite permitir o "desafio", recurso já utilizado no tênis e no futebol americano, em que as equipes podem utilizar por um número determinado de vezes as imagens de uma jogada.

"Por que não damos para os técnicos a chance de desafiar duas vezes decisões dos árbitros? Eles podem pedir imagens da TV. É algo novo. Mas não devemos parar quando tivermos ideias para desenvolver. Devemos botar o controle do jogo em discussão."

A Copa do Mundo, que começa nesta quinta-feira (12), será a primeira a permitir o uso de algum tipo de recurso tecnológico pelo árbitro para lances polêmicos.

Um sistema irá avisar o árbitro quando a bola cruzar completamente a linha do gol para evitar que o juiz erre em jogadas polêmicas do tipo "a bola entrou ou não?".

Leia tudo sobre: Joseph blatterCopa do Mundofutebolreplayrecursotecnologiapresidênciacandidatura