Procuradoria da Venezuela pede prisão para acusados de tramar golpe

Aliados de Maduro anunciaram no final de maio o suposto plano para assassinar o presidente e tomar o poder do país

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 A procuradoria-geral da Venezuela anunciou nesta quarta-feira (11) que vai pedir a Interpol a ajuda na captura de três pessoas acusadas de participar da elaboração de um suposto golpe para matar o presidente Nicolás Maduro.

A procuradora-geral, Luisa Ortega Díaz, disse que Pedro Burelli, Ricardo Koesling e Diego Arria deveriam se apresentar para explicar suas participações no suposto plano, mas não estão no país "Nenhum desses três estão no país. Por isso, vamos solicitar a Interpol suas capturas", declarou ela em entrevista à TV estatal.

Aliados de Maduro anunciaram no final de maio o suposto plano para assassinar o presidente e tomar o poder na Venezuela. Ele seria liderado pela ex-deputada María Corina Machado e incluiria os três citados.

Arria é um político, diplomata e ex-ministro da Venezuela. Koesling é advogado e ligado a oposição, enquanto Burelli é empresário. Os três são adversários do chavismo.

"Há outras medidas que temos adotado na investigação, mas se trata de informação secreta", afirmou Ortega.

A Venezuela vem sendo sacudida por uma onda de manifestações antigoverno iniciadas em fevereiro. Os protestos são contra a alta inflação, que atinge os 60% anuais, a escassez de produtos básicos, como papel higiênico e café, e a violência criminal.

Segundo os chavistas, os protestos fazem parte do plano contra Maduro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave