'Achei péssimo', diz Marco Aurélio sobre expulsão de advogado

"A atitude (do advogado) chegou ao extremo. Não é uma atitude louvável. Mas qual seria o instrumental que ele teria para trazer a matéria ao pleno?", disse

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello disse nesta quarta-feira (11) no intervalo da sessão da corte que achou "péssimo" o fato do advogado do ex-presidente do PT José Genoino ter sido expulso do plenário pelo presidente, Joaquim Barbosa, após insistir para que um pedido de prisão domiciliar de seu cliente fosse analisado.

"Achei péssimo. Mas nada surge sem uma causa. E deve haver uma causa. E a causa eu aponto como não haver ainda o relator, o presidente, trazido os agravos [a julgamento]. Nós estamos a cuidar de assunto que diz respeito a réus presos. E aí o processo tem preferência maior. A atitude (do advogado) chegou ao extremo. Não é uma atitude louvável. Mas qual seria o instrumental que ele teria para trazer a matéria ao pleno?", disse.

Marco Aurélio ainda destacou que está há mais de duas décadas no STF e que, neste período, nunca presenciou a expulsão de um advogado do plenário. "Eu completo dentro de 2 dias 24 anos no Supremo. Eu nunca vi uma situação parecida", disse.

Por fim, o ministro destacou que a expulsão contraria o Estado democrático de Direito, uma vez que a presença de um advogado é essencial para o bom correto caminhar da Justiça. "Estamos submetidos ao princípio da legalidade, o direito a palavra".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave