PF prende ex-diretor da Petrobras pela segunda vez

Ele havia sido solto pelo ministro Teori Zavascki após passar 59 dias na prisão no âmbito da Operação Lava Jato

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O ex-diretor é um dos investigados pela Operação Lava Jato, que busca desarticular uma organização que usava o doleiro Alberto Youssef para fazer lavagem de dinheiro
Agência Brasil
O ex-diretor é um dos investigados pela Operação Lava Jato, que busca desarticular uma organização que usava o doleiro Alberto Youssef para fazer lavagem de dinheiro

A Polícia Federal prendeu agora há pouco o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, em sua casa, na Barra, no Rio de Janeiro. A prisão foi fundamentada na acusação de que havia risco de fuga.

Costa escondeu da polícia que tinha um passaporte português e contas na Suíça com saldo de U$ 23 milhões. Ele havia sido solto pelo ministro Teori Zavascki após passar 59 dias na prisão no âmbito da Operação Lava Jato.

A Suíça bloqueou os US$ 23 mi do ex-diretor da Petrobras.

O ex-diretor já havia sido preso em março pela PF, sob acusação de tentar ocultar provas. Em entrevista à Folha de S.Paulo, feita no dia 30 de maio, Costa negou que tivesse contas no exterior.

As contas atribuídas a Costa e a seus familiares estavam em nome de empresas estrangeiras sediadas em paraísos fiscais, um recurso usado para dificultar que as autoridades encontrem e sequestrem os valores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave