Volkswagen up! é um automatizado pop

Pioneiro na união entre câmbio automatizado e motor 1.0, up! dá descanso ao pé esquerdo, mas funcionamento da transmissão poderia ser mais suave

iG Minas Gerais | Raimundo Couto |

A versão intermediária Move up!, disponível com carrocerias de duas ou quatro portas, é a mais barata a oferecer o câmbio I-Motion
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
A versão intermediária Move up!, disponível com carrocerias de duas ou quatro portas, é a mais barata a oferecer o câmbio I-Motion
Passados apenas alguns meses desde o lançamento, a Volkswagen já disponibilizou o up! dotado com transmissão automatizada I-Motion, que equipa Gol, Voyage, Fox e Spacefox. O Carro&Cia avaliou o up! com a nova transmissão I-Motion SQ100, que, segundo o fabricante, foi aperfeiçoada para proporcionar engates mais precisos e menor consumo de combustível. Em relação à primeira geração desse câmbio, a alavanca sem cabos (shift by wire) é nova, e o gerenciamento da troca de marchas levou em consideração o modo de dirigir do motorista brasileiro.   Na prática, percebe-se que houve de fato uma melhora na resposta de engate, mas apenas quando é escolhida a condução no modo manual, o que não é prioridade para quem compra um modelo com essa opção de troca de marcha. Sempre lembrando que é preciso aliviar o pé direito para diminuir a percepção – nítida – do exato momento da troca de marchas. Ainda assim, essa é a melhor forma de dirigir o up! I-Motion, que deveria ter as borboletas na direção para facilitar o processo. Dia a dia O famoso “soluço” entre a passagem de marcha é notado e incomoda, ainda mais na cidade, em meio a trânsito intenso. Optando pelas trocas automáticas, além da indecisão do sistema, que demora a “escolher” a velocidade mais adequada, as mudanças de marcha causam repentina desaceleração, sentida pelos ocupantes. Em uma subida pouco mais íngreme, a primeira marcha é esticada até os 6.000 rpm, o que produz barulho no habitáculo, e só depois a segunda é engatada. Estacionar em vagas apertadas e fora do plano não é tarefa simples, pois é preciso habilidade para controlar perfeitamente a intensidade do acelerador. Pisadas um pouco mais fundas no pedal fazem com que o carro dê pulos para frente ou para trás. Curioso é que a montadora alemã tem em seu portfólio um dos melhores câmbios automatizados do mercado, o DSG, que equipa Jetta e Passat, entre outros. A diferença é que o DSG tem duas embreagens e o I-Motion, mais simples, tem apenas uma. Conteúdo A versão Move, a mais em conta a oferecer, opcionalmente, o câmbio automatizado, traz de série computador de bordo e rodas de 14 polegadas, ao preço de R$ 28.890 com duas portas. Com quatro portas, ar-condicionado, direção assistida e travas e vidros elétricos, o modelo passa dos R$ 36 mil. Completo, com sensores de ré e navegador GPS, o preço vai a R$ 41.500. A transmissão I-Motion também é oferecida nas configurações High up!, Red up!, Black up! e White up!.   Carreira Lançado no começo deste ano, o up! vem se firmando no mercado. Alguns meses depois de ter iniciada a sua comercialização, o compacto da Volkswagen ainda não tinha “dado as caras” nas ruas, mas essa realidade vai, aos poucos, mudando. Ele ainda não teve um mês cheio de vendas depois de introduzida a opção mais barata, com carroceria de duas portas, mas, mesmo assim, os números vêm rodando em torno de 5.000 emplacamentos mensais. Comparados com o desempenho em vendas do extinto Gol de quarta geração, o moderno e seguro up! mostra fôlego de jovem e sinaliza que não tardará muito para entrar no ranking dos dez automóveis de maior venda no Brasil.    No mais o up! segue na trilha para tentar levar a VW ao topo do mercado, lugar perdido há 12 anos. Destaques no modelo são o interior, simples, prático e espaçoso e a posição de dirigir. O hatch vem sendo apontado em testes de impacto como o compacto mais seguro do país, e o motor 1.0 de três cilindros também é um ponto forte, pela eficiência em rendimento e em consumo de combustível.   

Leia tudo sobre: Volkswagenup!I-Motioncâmbioautomatizadohatchcompacto