Fãs ajudaram a escalar Clark Gregg para série

iG Minas Gerais | Dave Itzkoff |



Ator mostra como vive a pessoa comum no mundo de superpoderes
Sasha Maslov / The New York Time
Ator mostra como vive a pessoa comum no mundo de superpoderes

NOVA YORK, EUA. Durante o período em que estava escrevendo o roteiro do filme “Trust Me”, o ator Clark Gregg já ganhava maior exposição como o agente Coulson nos filmes de super-heróis da Marvel, primeiro no sucesso de 2008, “O Homem de Ferro”, do qual tinha certeza que seria deixado de fora (“Sério, se for para cortar, quem você acha que vai ser, eu ou o Jeff Bridges?”), e depois nas sequências e longas derivados como “O Homem de Ferro 2” e “Thor”.

Quando chegou a hora de filmar a morte de Coulson em “Os Vingadores”, “foi pesado. Não estava acreditando que ia usar aquele terno pela última vez. Fiquei triste por me despedir”.

Por incrível que pareça foi o esforço dos fãs – que não pararam de postar a frase “Coulson vive” em hashtags no Twitter e pichá-la nos muros da vida – que convenceu os executivos da Marvel a escalar Gregg para a série “Agents of S.H.I.E.L.D.”, que conta novas aventuras da agência de espionagem fictícia.

“O personagem nasceu do próprio Clark Gregg e sua empatia, sua capacidade de encarnar o cara comum de uma forma engraçada e sarcástica ao mesmo tempo”, comentou Maurissa Tancharoen, uma das criadoras do seriado. “Tanto que quando o mataram, não ficou morto muito tempo”.

Jed Whedon, marido e parceiro de Maurissa na série, acrescentou: “Coulson nos deu uma grande chance de mostrar como vive a pessoa comum em um mundo de superpoderes – e o que significa a queda da S.H.I.E.L.D. para alguém que dedicou a vida a ela”.

Apesar do sucesso de Gregg no programa, seus colegas sentem que a relação tumultuada do ator com o estrelato continua, mesmo quando ele se vê famoso como nunca foi.

“Clark sempre foi muito confiante, muito humilde e muito gozador consigo mesmo, tudo ao mesmo tempo”, afirmou Rockwell, que interpreta o empresário rival do personagem de Gregg em “Trust Me”, além de produtor executivo do longa. “E não mudou apesar da série”.

Com a experiência de ter trabalhado com outros atores/diretores como George Clooney e Tony Goldwyn, Rockwell continuou: “Tem alguma coisa nessa parceria que faz com que você saiba que o cara não é ‘chefe’. É todo um lance de cumplicidade”.

“Em ‘Trust Me’, tanto eu como Macy, Allison Janney e Felicity Huffman fazemos papéis menores porque queríamos que ele realizasse seu objetivo”, concluiu.

Gregg revela que há outros roteiros, tanto para serem produzidos por estúdios como financiados independentemente, que anda analisando para dirigir e/ou encenar no futuro.

Quando retornar como Coulson em meados do ano, com a nova temporada de “Agents of S.H.I.E.L.D.”, estará encarnando um homem que viu seu mundo e seu estilo de vida desmoronarem completamente e agora enfrenta o desafio de colocar tudo de volta no lugar.

E com isso, conta Gregg, não poderia se sentir mais à vontade. “Eu acho que é muito mais interessante, tem muito mais a ver com o momento. Na verdade, é ‘Agentes do Nada’, o que é muito bom. Estou resgatando minhas raízes existencialistas francesas”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave