Manifestantes decidem manter ocupação da UFMG

Grupo se reuniu na noite desta terça (10), e é contra a restrição de funcionamento e acesso ao campus nos dias de jogos da Copa do Mundo; nova assembleia está marcada para a próxima sexta (13)

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

Estudantes que ocupam o prédio da reitoria da UFMG, na região da Pampulha, decidiram pela permanência no local, ao final de reunião na noite desta terça-feira (10).

De acordo com a estudante de Ciências Socioambientais Renata Rocha, de 21 anos, uma nova assembleia do movimento Ocupe UFMG será realizada na próxima sexta-feira (13), às 14h. Cerca de cem manifestantes circulam pelo saguão do prédio desde a última sexta-feira (6), quando eles deram início a um ato contra a Copa do Mundo, que pretende restringir o funcionamento e acesso ao campus nos dias de jogos do mundial em Belo Horizonte.

Desde então, pelo cinquenta deles passam a noite no local. A ocupação segue pacífica e acompanhada de perto pela guarda da UFMG.

Polícia Militar 

Outro ponto reivindicado pelo Ocupe UFMG é o fim do convênio entre a universidade e a Polícia Militar.

De acordo com o major Gilmar Luciano, chefe da comunicação da Polícia Militar, se acontecer crime flagrante em qualquer prédio federal, o que inclui a UFMG, e a PM for acionada, ela tem legitimidade jurídica para atuar lá dentro. “Como a Polícia Federal e o Exército Brasileiro já estão conversando sobre como agir no perímetro da UFMG, esta não é a principal preocupação da PM. Porém, se formos acionados, estamos prontos para atuar”, disse o major.

Durante uma reunião da Comissão de Prevenção à Violência em Manifestações Populares, também realizada na tarde desta terça, na sede do Ministério Público, o promotor José Antônio Baeta afirmou que a PM tem respaldo legal para entrar na UFMG se houver qualquer tipo de invasão, crime ou ato violento no interior do campus. De acordo com o promotor, nas manifestações do ano passado, o Exército e os militares estiveram lá dentro a pedido do reitor, o que não aconteceu neste ano.

Leia tudo sobre: ocupação UFMGCopa do Mundopolícia militarPampulhacampus