Representante da UEFA revela clima hostil a Blatter e ataca FIFA

Presidente da entidade do futebol está em campanha pelo quinto mandato, mas opositores usam denúncias da Copa do Catar para ataca-lo

iG Minas Gerais | Josias Pereira |

São Paulo (SP). A bola ainda não rolou para a Copa, mas as conversas de bastidores mostram que a alta cúpula da FIFA possui preocupações maiores do que os protestos que ameaçam o bom andamento do certame no país do futebol. Nesta terça-feira, a entidade deu início a 64ª edição de seu congresso anual. Além de apresentar aos delegados e delegadas de todas as confederações filiadas um Brasil multicultural e preparado para receber a Copa do Mundo, o presidente Joseph Blatter tenta emplacar sua candidatura a mais um mandato.

No entanto, as denúncias de corrupção envolvendo a escolha do Catar como sede do Mundial de 2022 arranharam a imagem do dirigente, que agora enfrenta oposição dentro da UEFA. Chefe de imprensa do gabinete de Michel Platini, presidente da UEFA, o português Pedro Pinto revelou que a rejeição a Blatter tem aumentado nos últimos encontros da FIFA.

"Seria um exagero falar que ele foi recebido com vaias, mas não houve o mesmo tipo de reação positiva que já existiu por parte das outras confederações. O que se viu foi um ambiente muito tenso, ele (Blatter) sentiu que existe oposição", afirmou.

"Acho que é muito importante saber o resultado das investigações que envolvem a escolha do Catar. Existem insinuações graves, mas que precisam ser confirmadas pelo comitê de ética da entidade. O que nós não podemos negar é que neste momento a imagem da FIFA é negativa. É uma entidade que não apresenta transparência, que não é governada da melhor maneira porque o comportamento de pessoas ligadas à entidade não é aceitável. A UEFA sente que coisas internas precisam ser mudadas, e o Blatter não é mais capaz de fazer isto", completou

Neste momento, Platini tenta a aprovação de uma proposta que proíbe pessoas acima de 72 anos de se candidatem à presidência da FIFA. A medida afetaria diretamente Blatter, que possui 78. Apesar disto, a iniciativa não significaria necessariamente uma possível candidatura do francês que preside a UEFA desde 2007.

"Ele vai anunciar este posicionamento só em agosto. Não conversamos nada sobre o assunto. A decisão de Platini será uma escolha pessoal, um projeto de futuro, algo que envolve uma escolha de vida. Temos muitos projetos novos na UEFA, por isto não sei se ele vai para a FIFA ou não", disse Pedro Pinto.  

Leia tudo sobre: CongressoBlatterUEFAPlatiniCopa do Mundo 2014FIFA