Justiça Federal-MG divulga quebra do sigilo bancário do Atlético

Órgão quer saber para onde foi o valor de mais de R$ 18 milhões que ficaria retido por causa de dívida do clube com a União

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

Jovem jogador vive um momento novo e de transição na carreira
Divulgação
Jovem jogador vive um momento novo e de transição na carreira

A Justiça Federal de Minas Gerais divulgou, nesta terça-feira, a quebra do sigilo bancário do Atlético para verificar onde está a quantia referente à venda do meia-atacante Bernard. O valor de mais de R$ 18 milhões que seria bloqueado pela Justiça para cobrir a dívida do Galo com a União, não está na conta do clube. Por isso, o órgão quer saber detalhes sobre a movimentação financeira do alvinegro para esclarecer a divergência de valores.

Conforme informações da Justiça Federal, a União Federal entrou, em fevereiro, com uma medida cautelar para deixar o valor de R$ R$18.434.383,19 indisponível para o Atlético. A quantia, referente à dívida do clube mineiro com o governo, ficaria retida até o fim do processo que estipula quanto a agremiação atleticana deve pagar.

Porém, quando o juiz foi confirmar o bloqueio, o banco informou que o saldo da conta era ínfimo, não chegando nem perto do valor da dívida. Por isso, a Justiça pediu a quebra do sigilo bancário para verificar para onde foi esse dinheiro.

Durante meses, o Galo tem tentado diversos acordos para a liberação da verba, porém sem sucesso. O clube chegou a oferecer um terreno avaliado em R$ 20 milhões, o que não foi aceito pela Advocacia Geral da União (AGU).

A diretoria do Atlético foi procurada pela reportagem do SUPERFC, mas ninguém foi encontrado para comentar sobre a decisão da justiça. 

Leia tudo sobre: AtleticoGalocaso Bernardjustica federalbloqueioverba