Abin vai monitorar situação de 300 mil pessoas durante Copa do Mundo

Agência Brasileira de Inteligência poderá sugerir à Fifa que cancele credenciais daqueles que tiverem problemas na Justiça

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Tudo pela segurança e ordem durante a Copa do Mundo. A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) vai, criteriosamente, avaliar informações de 300 mil pessoas que se cadastraram para participarem da Copa do Mundo. A informação foi divulgada nesta terça-feira, no Centro de Mídia, no Forte de Copacabana, no Rio de Jan eiro.

A avaliação da situação dessas pessoas - que irão participar da organização do Mundial ou, simplesmente, assistir aos jogos - é para que, caso seja detectado problemas judiciais, o credenciamento da pessoa seja cancelado. Isso, se houver o desejo da Fifa para tal.

Outra estratégia adotada para elevar a segurança de algumas seleções também foram adotadas. Como por exemplo o enquadramento de sete equipes, das 32 participantes do Mundial, no “grau máximo” de cuidados.

Além dessas informações, foram divulgados os valores gastos com a segurança na Copa do Mundo e o número de homens da Polícia do Exército que poderão ser acionados nas adjacências dos estádios que sediarão jogos da Copa do Mundo.

O montante gasto com a segurança no Mundial atingiu R$ 1,4 bilhão, sendo que R$ 70 mi desse montante foram investidos na compra de armas não letais. Tais armamentos distribuídos pelas cidades-sede. Já o efetivo da Polícia do Exército pode chegar a 36 mil policiais em áreas estratégicas. 

Leia tudo sobre: abincopa do mundomundial 2014Mundial de Clubes