Líder da direita francesa contesta declaração antissemita do pai

Marine Le Pen classificou de "falta política" as declarações de Jean Marie e disse que elas foram interpretadas de forma "mal-intencionada"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 O comentário antissemita do fundador do partido de extrema-direita Frente Nacional (FN), Jean Marie Le Pen, gerou uma discussão entre o político e sua filha, Marine Le Pen, que agora dirige o partido.

Marine Le Pen classificou de "falta política" as declarações de seu pai e disse que elas foram interpretadas de forma "mal-intencionada".

Jean Marie, no fim de semana, atacou vários artistas que tomaram posição contra seu partido, entre os quais Madonna, o humorista francês Guy Bedos e o cantor e ex-campeão de tênis Yannick Noah. E quando citou o cantor Patrick Bruel, que é judeu, Jean Marie disse "Faremos uma fornada da próxima vez", o que foi considerado uma referência aos campos nazistas de extermínio.

Em entrevista ao jornal francês "Le Figaro", ela disse que, com sua longa experiência, o fato de Jean Marie não ter antecipado a interpretação que seguramente seria feita sobre sua formulação "é uma falta política da qual a Frente Nacional está sofrendo as consequências".

Marine Le Pen foi eleita presidente da FN em 2011, substituindo pai, e desde então trabalha para tentar distanciar o partido de sua imagem antissemita e racista.

O partido de Marine Le Pen conseguiu uma vitória histórica no mês passado nas eleições europeias, obtendo 25,65% dos votos, à frente do partido conservador UMP (20,6%) e colocando o Partido Socialista (no poder, 13,9%) no terceiro lugar.

Líderes judaicos apelaram pelo cancelamento da imunidade parlamentar de Le Pen, 85, como parlamentar europeu.

Le Pen pai foi condenado pela Justiça mais de uma vez por declarações racistas e de conteúdo antissemita, em particular por ter estimado que as câmaras de gás dos campos de extermínio nazistas tinham sido "um detalhe da história" da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

BLOG

Depois da polêmica declaração antissemita, o site da FN parou de hospedar o blog de Jean Marie e removeu todos os links que levavam a ele nesta terça (10).

A decisão foi tomada "para proteção legal do diretor do site", disse à Reuters Wallerand de Saint-Juste, um advogado do partido.

Ele acrescentou que o blog ficará hospedado em outro lugar na Internet, sem especificar onde.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave