Mensagem sobre ataque de PCC durante a Copa é disseminada por app

Via WhatsApp, a mensagem pede para as pessoas ficarem em casa durante os jogos do Brasil porque a maior facção criminosa do país teria prometido passar atirando indiscriminadamente em barzinhos e restaurantes de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Mensagem está sendo compartilhada via WhatsApp
OSVALDO RAMOS
Mensagem está sendo compartilhada via WhatsApp

Uma mensagem que está sendo compartilhada via WhatsApp diz que durante a Copa do Mundo, a começar pela abertura, no dia 12 de junho, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo irão sofrer ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC), a maior organização criminosa do Brasil.

Disseminada em grupos do aplicativo, a mensagem diz: 

“Gente, tenho um recado importante pra vocês, não é zueira, é coisa séria, de verdade! Tenho amigos na PM e foi levantado pela P2 (Polícia Militar Investigativa), está rolando um boato a respeito da Copa e eles estão repassando pras famílias e conhecidos… Como ainda não é nada concreto eles não podem divulgar na TV, mas eles pediram pra eu repassar. O boato é que está planejado para o dia 12 e os demais dias de jogos do Brasil, ataques do PCC em barzinhos e restaurantes (MG/ SP/ RJ). A ordem é chegar atirando sem dó nem piedade. Por isso peço a vocês amigos que tomem muito cuidado… Evitem esses locais, se puderem, se reúnam em casa com os amigos, é a melhor opção! Eu sei que vocês vão pensar que é coisa de Facebook, boato de mentira, mas acredito nele porque ele trabalha diretamente com o pessoal da P2 da PM, então, por favor, evitem! Isso partiu de dentro dos presídios as ordens para serem cumpridas!!! Só um toque!”

Conhecido por comandar assaltos, sequestros, rebeliões, assassinatos e o tráfico de drogas, o grupo atua em quase todos os Estados do país e tem os seus principais líderes presos em São Paulo.  No final do ano passado, houve boatos de que o PCC havia prometido uma “Copa do Mundo do terror” caso não houvesse uma transferência de unidade prisional para os líderes da facção criminosa.

Em março deste ano, houve a transferência de uma das principais lideranças do grupo, Marcola, e outros três líderes conhecidos como “Bin Laden”, “Barbará” e “Du da Bela Vista”. Eles foram passados da Penitenciária 2 de Presidente Bernardes para o Regime Disciplinar Diferenciado, no Centro de Readaptação Penitenciária Dr. José Ismael Pedrosa de Presidente Bernardes, ambas em São Paulo. Na nova prisão, os detentos têm direito a regalias como duas horas de banho de sol por dia.

O pedido de transferência dos quatro líderes do PCC foi atendido pela Justiça após o vazamento de um plano de resgate de Marcola que envolvia helicópteros, explosivos e metralhadoras.

Apesar da mensagem que está sendo compartilhada ter embasamento de acordo com os passos do PCC, o chefe da sala de imprensa da Polícia Militar de Minas Gerais, o major Gilmar Luciano Santos, disse que nada disso chegou ao conhecimento da polícia e que se houvesse uma ameaça, ela já estaria sendo trabalhada pelo órgão de inteligência da corporação.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Polícia Militar de São Paulo para verificar se há a possibilidade real de um ataque comandado pelo PCC durante a Copa, e aguarda a resposta. 

Leia tudo sobre: PCC