Maringá deixa epidemia de dengue, mas mantém alerta em alguns bairros

Segundo levantamento, índice de infestação caiu para 0,8% na cidade; bairros da zona leste, no entanto, ainda preocupam a prefeitura

iG Minas Gerais | Da redação |

Lixo acumulado é a principal causa da proliferação da doença
Roberto Furlan/PMM
Lixo acumulado é a principal causa da proliferação da doença

A Prefeitura de Maringá confirmou, ontem (9), que o município deixou a epidemia de dengue, depois de quase três meses na situação. De acordo com números do Levantantamento de Índice do Mosquito Aedes aegypti (Lira), o índice de infestação na cidade está em 0,8%, atualmente - em março, o índice era de 2,4%.

A Secretaria de Saúde, no entanto, pede para que o cuidado seja mantido em toda a cidade, já que alguns pontos ainda mantêm risco médio da doença. A região mais preocupante é a zona leste, nos bairros Champagnat, Residencial Paulino, Requião II, Paulista e Colina Verde - nestes, o índice é de 2,5%. Os bairros Jardim São Domingos, Conjunto Santa Terezinha e o distrito de Iguatemi também precisam de atenção - por lá, o índice é 1,8%, também considerado médio.

Até esta terça-feira (9), Maringá havia registrado 2.714 casos confirmados e 7.350 notificados de dengue no ano, conforme registros da prefeitura. Três pessoas morreram vítimas da doença em 2014.

 

Leia tudo sobre: ministério da saúdedenguemaringádiminuiçãocasos