Trancado na concentração, Diego Costa vê recepção 'especial'

Espanha ainda não saiu, teve contato com torcedor e conheceu cidade, mas brasileiro naturalizado já diz: 'estou vivendo um momento lindo'

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Diego Costa ainda não conviveu com torcedores, mas já sente tratamento especial
Twitter/Reprodução
Diego Costa ainda não conviveu com torcedores, mas já sente tratamento especial

A Espanha esteve trancada dentro do CT do Atlético-PR desde que chegou a Curitiba, na noite de domingo (8). A programação traçada pela atual campeã do mundo é bem diferente da cumprida por alemães, ingleses, holandeses e mexicanos, que têm se divertido nas cidades onde estão concentrados.

No caso dos espanhóis, não houve ainda contato com torcedores. O time evitou o saguão do aeroporto na chegada, e o primeiro treino aberto está previsto para acontecer na tarde desta terça (10).

Mesmo assim, o atacante Diego Costa, brasileiro naturalizado espanhol, disse que os primeiros dias de volta ao país em que nasceu têm sido "impressionantes" por causa da recepção. "As pessoas me receberam como eu espero. Aqui me tratam de uma maneira especial. Estou vivendo um momento lindo."

A seu lado, o volante Busquets foi mais objetivo: "Não posso falar nada da cidade. Chegamos à noite e viemos direto do aeroporto para cá."

Busquets elogiou as instalações cedidas pelo Atlético-PR, na periferia de Curitiba. "Estão muito boas. E o clima é perfeito para a preparação física e para treinar, não faz calor". A temperatura no final da manhã desta terça era de 14º C.

Mas a primeira partida do time será em condições bem diferentes: jogará em Salvador, na sexta (13), contra a Holanda - onde a temperatura no mesmo momento era de 25º C.

Aí foi a vez de o sergipano Diego Costa enxergar problemas. "O clima é um fato que assusta um pouco mais, porque na Europa jogamos mais no inverno", disse ele, que atua no futebol europeu desde 2006.

O atacante se disse recuperado da lesão na coxa direita que o tirou de campo na final da Copa dos Campeões. "Não haverá nenhum problema", afirmou.