Menino de 4 anos abraça pai, agente penitenciário, e é baleado

Homem confessou à Polícia Militar não ter permissão para portar arma e que conseguiu o revólver com um terceiro; arma teria caído e disparado; criança passou por cirurgia para retirada de projétil

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Uma criança de 4 anos foi atingida por um tiro acidental assim que abraçou o pai, um agente penitenciário, que chegava do trabalho. O acidente aconteceu na noite dessa segunda-feira (9), em Teófilo Otoni, na região do Vale do Jequitinhonha, e o homem não tem autorização para usar arma.

Emilierle Lopes Esteves, 24, contou à Polícia Militar que depois de chegar do trabalho, em Carlos Chagas, na mesma região, foi recebido pelo filho com um abraço dentro de casa, na rua Alemanha, no bairro Bela Vista. Contudo, o contato fez com que o revólver calibre 38 caísse ao chão e disparasse. Uma bala atingiu a coxa direita do menino e se alojou na região do tórax.

Esteves socorreu o filho com a ajuda de um conhecido que passava de carro e o levou para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA). Mais tarde, pela gravidade, a criança foi transferida para o Hospital Santa Rosária, onde ele passou por cirurgia para a retirada do projétil e segue internado. O quadro dele é estável, segundo o hospital.

Aos militares, Esteves teria confessado que não tem documento que o permita portar arma e que conseguiu o revólver com um terceiro. Ele afirmou que foi contrato para o serviço há um ano. Os policiais foram à casa de Esteves, mas não localizaram a arma. Ele foi conduzido para uma delegacia para prestar esclarecimentos.  

Leia tudo sobre: criançameninopaiagente penitenciáriobalatiro acidentalabraço