Ladrões invadem casa e ameaçam roubar criança para vender no Paraguai

Segundo boletim de ocorrência da polícia, assaltantes fizeram pressão psicológica ao falar que iriam pegar menina de 4 anos; quadrilha, que seria de São Paulo, não foi localizada

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

A Polícia Militar de Ibitiúra de Minas, no Sul de Minas, está à procura de três homens que invadiram uma casa no município, no último domingo (8), e fizeram quatro moradores reféns, entre eles uma menina de 4 anos. De acordo com o boletim de ocorrência registrado no dia do crime pela Polícia Militar, uma das vítimas contou que, durante a ação, os bandidos ameaçaram roubar a criança para vender no Paraguai caso não conseguissem dinheiro. Eles fugiram, ainda segundo a polícia, com R$ 35 mil.

No boletim, o homem de 36 anos, que é dono de uma farmácia na cidade, contou que dois bandidos chegaram ao imóvel e anunciaram o assalto. Ele, a companheira, a filha e a sogra foram levados para o segundo pavimento da residência. Lá, os suspeitos, que estavam armados, exigiram dinheiro e teriam ameaçado a criança.

Com medo, o pai foi até a farmácia, que fica na parte debaixo do imóvel e pegou a quantia. Em seguida, os assaltantes amarraram as vítimas com fios de celulares e fugiram, com a ajuda de um terceiro ladrão, em uma caminhonete sentido rua Fernando Felisberto, que dá acesso à MG-455.

Apesar de ter registrado as informações na polícia, o comerciante disse à reportagem de O TEMPO que a situação foi um pouco diferente do que foi informado no boletim.

“Não teve essa história de levar a minha filha. Ela também não foi amarrada e a quantia levada foi de R$ 2,5 mil, além da minha aliança, um cordão e uma pulseira de ouro. Acho que teve um engano”, disse o homem que, por segurança, não será identificado.

Segundo ele, os assaltantes estiveram no comércio na última sexta-feira (6) se passando por clientes. Os homens foram atendidos através de grades, mas pediram para entrar e olhar alguns produtos. Diante da negativa da vítima, eles foram embora.

Mesmo o comerciante afirmando para a reportagem que não passou para a polícia a informação do roubo da filha, o sargento Roberto Flávio Pereira, que atendeu a ocorrência, confirmou a versão apresentada no boletim.

“Para os militares, ele disse que os bandidos ameaçaram levar a menina. Isso foi pressão psicológica. O valor levado do estabelecimento também foi repassado pelo dono do estabelecimento comercial”, disse o militar.

Após o roubo, os ladrões pediram que as vítimas esperassem 40 minutos para que a polícia fosse acionada. “Eles exigiram um tempo para fugir e disseram que, caso fossem presos, outros integrantes do grupo voltariam para 'acertar as contas' com a minha família”, disse o comerciante.

Quadrilha conhecida

De acordo com o sargento Pereira, os criminosos que invadiram a casa de Ibitiúra de Minas fazem parte de uma quadrilha que está agindo em cidades do Sul do Estado.

“Os criminosos já cometeram crimes em Poços de Caldas e Cambuquira, por exemplo. Eles sempre agem da mesma forma: ameaçam levar crianças e exigem que a polícia seja acionada 40 minutos após o crime”, disse o sargento.

Ainda segundo o policial, existe a suspeita que o grupo seja de São Paulo. “A cidade fica a 80 quilômetros de Campinas e acreditamos que os suspeitos possam ser de outro Estado. A polícia paulista está nos ajudando a tentar localizar os assaltantes. Alguns, já foram identificados”, disse Pereira. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave