Depois do ‘medo’, Lula e Dilma

iG Minas Gerais |

Temer minimizou o fato de parte do PMDB ter resistência à aliança
PMDB/Divulgação
Temer minimizou o fato de parte do PMDB ter resistência à aliança

Brasília. Após ter o programa sobre os “fantasmas do passado” suspenso pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o PT produziu novos programas apostando na vinculação da presidente Dilma Rousseff com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com foco na comparação com governos anteriores nas áreas econômica e social.  

No primeiro deles é aproveitado o discurso de Lula ocorrido na abertura do encontro nacional do PT, realizado no último dia 2 de maio, em São Paulo. “Qual o país que cresceu mais a renda do que nós? Qual país que gerou mais emprego com carteira assinada do que nós? O Brasil já virou, Dilma, a sétima economia do mundo”, afirma para na sequencia discorrer sobre uma série de números relacionados às exportações, produção e mercado consumidor do país.

O segundo comercial do partido aborda a questão da inflação, um dos temas que deverá ser alvo de constantes críticas por parte da oposição ao longo da disputa presidencial deste ano. “Nos governos do PT a renda dos brasileiros cresceu 52% acima da inflação e duas vezes mais rápido do que o PIB”, narra um locutor.

A presidente Dilma também participa de um dos comerciais defendo a ampliação de algumas conquistas na área social. “Já vencemos a luta mais importante: a do emprego e a do salário. Agora vamos aumentar a luta pela qualidade da saúde, da educação e da segurança pública à altura do nosso potencial”, diz Dilma. As novas inserções vão ao ar hoje. Os “spots” são os últimos a serem veiculados antes do início da eleição.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave