Visita de Dilma gera bate-boca

Responsabilidade por obras do Anel Rodoviário e do metrô volta a ser tema de acusações

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Contra-ataque. Partidos responderam nota do PSDB, com material produzido pela “Agência Minas”
FOTO: PT / Divulgacao
Contra-ataque. Partidos responderam nota do PSDB, com material produzido pela “Agência Minas”

A responsabilidade das obras de expansão do metrô de Belo Horizonte e da reforma do Anel Rodoviário voltou a ser tema de bate-boca entre o governo de Minas e partidos que apoiam a candidatura do ex-ministro petista Fernando Pimentel. Nessa segunda, PT, PCdoB, PROS, PRB e PMDB saíram em defesa de Dilma Rousseff (PT) e rebateram as críticas feitas pelo PSDB mineiro e pelo Palácio Tiradentes horas depois da visita da presidente à capital mineira, no domingo, quando inaugurou o Centro de Operações da Prefeitura de Belo Horizonte (COP-BH). No comunicado divulgado à imprensa na tarde de domingo, o governo de Minas reafirma que está rigorosamente em dia com os prazos para entrega de projetos de obras de mobilidade, e que aguarda a liberação dos recursos do governo federal. Também em nota, as cinco legendas de oposição usaram reportagens publicadas na “Agência Minas” – site de notícias do governo – para corroborar que o governo federal espera receber os projetos executivos para liberar recursos. Como argumento, a nota traz uma notícia de 14 de maio em que o governador Alberto Pinto Coelho (PP) iria entregar à Caixa Econômica Federal o projeto de expansão do metrô no dia seguinte. No entanto, a Caixa devolveu o projeto por “falhas graves na documentação, com falta de orçamento e cronograma das obras”. Em 24 de maio, reportagem de O TEMPO mostrou que o governo do Estado afirmou que entregaria as pendências em até 20 dias. No caso do Anel Rodoviário, em 12 de junho de 2012, uma notícia da Agência Minas trazia a cerimônia de assinatura do termo de compromisso para elaboração do projeto executivo da obra. Naquele dia, Dilma esteve em Belo Horizonte para repassar R$ 17 milhões ao governo de Minas, para que o Executivo estadual pudesse elaborar o projeto. Outro lado. O presidente estadual do PSDB, deputado Marcus Pestana, chamou de “mistura de má-fé com cara-de-pau” a crítica apresentada por Cunha. Segundo ele, durante dez anos de mandato do PT, as obras não avançaram e, “agora, no apagar das luzes”, o governador Anastasia ofereceu ajuda para superar a “inércia” do governo federal. Sobre os problemas técnicos no projeto apresentado pelo Executivo mineiro para a expansão do metrô, Pestana afirma que isso “não obscurece essa década do PT no poder”. “É uma tentativa do Estado de ajudar o governo federal em sua tarefa”, completa. Para encerrar, Pestana afirma que, caso o tema seja levado a debate nas propagandas na TV, o eleitor saberá “onde está verdade”.

Estratégia Programa. O PT reuniu nessa segunda, em um hotel na região Oeste, seus pré-candidatos a deputado federal e estadual. O partido deu orientações e apresentou as diretrizes do programa de governo.

Alerta Cuidado. O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, alertou nessa segunda sobre o risco de o crime organizado se infiltrar nas estruturas partidárias a poucos meses das eleições gerais. Risco. Para o ministro, que é vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o veto às empresas para doações nas campanhas abre caminho para organizações criminosas como o PCC. Avaliação. “A Justiça eleitoral e todo o sistema institucional devem dar toda a atenção e o rigor na apuração sobre episódios recentes que mostram a integração do PCC na estrutura de partidos. É o crime organizado se enraizando na estrutura partidária, isso é muito perigoso”, advertiu Mendes.

Coordenador pede demissão após ataque São Paulo. Coordenador de redes sociais da pré-campanha de Eduardo Campos (PSB) à Presidência, Marco Bahé pediu afastamento do cargo após publicar em sua página de Facebook uma mensagem na qual relacionava o presidenciável tucano, Aécio Neves, ao uso de drogas. Bahé justificou dizendo que a mensagem deveria ter sido publicada “em um grupo fechado, de amigos”. Com a repercussão, o jornalista afirmou que já estava afastado “há vários dias” do cargo. Porém, a assessoria de Campos informou que o pedido foi após o episódio.

Aliados Corpo a corpo. Um dia antes da convenção nacional do PMDB, o vice-presidente Michel Temer fez uma peregrinação pelos núcleos do partido para pedir votos em favor da aliança nacional com o PT. Minas. Já a convenção do partido em Minas ocorrerá no próximo dia 14. Nessa segunda, a executiva estadual fechou os nomes da chapa única. Chapa. O deputado federal Antônio Andrade foi indicado à vaga de vice-governador na chapa do petista Fernando Pimentel. Já o empresário Josué Alencar vai disputar o Senado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave