Barraqueiros poderão retornar após a Copa do Mundo

Eles foram retirados em 2010; desta vez, terão espaço delimitado por projeto feito na UFMG

iG Minas Gerais | Bárbara Ferreira |

Cerca de 150 famílias teriam perdido fonte de renda com retirada
LEO FONTES / O TEMPO 02/06/2010
Cerca de 150 famílias teriam perdido fonte de renda com retirada

Representantes da Prefeitura de Belo Horizonte fizeram nessa segunda um compromisso com os barraqueiros do entorno do Mineirão, na Pampulha, que foram retirados do local em 2010 por causa de obras visando a Copa do Mundo. Em audiência pública na Câmara Municipal, eles garantiram que os trabalhadores poderão voltar para a região logo depois do Mundial. A diferença é que dessa vez eles terão espaço delimitado previamente, por meio de um projeto em desenvolvimento pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

De acordo com o vereador Adriano Ventura (PT), que solicitou a audiência pública, o projeto atinge cerca de 150 famílias, que estariam com o sustento prejudicado desde 2010.

Também participaram do evento o secretário da Regional Pampulha, Humberto Abreu, membros do Comitê Popular dos Atingidos pela Copa (Copac), da UFMG, da Defensoria Pública e representantes dos barraqueiros.

Novo encontro. A reunião terminou ainda com o compromisso da realização de um novo encontro, onde, segundo a integrante do Copac Amanda Couto de Medeiros, será assinado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), oficializando o compromisso feito pela prefeitura da capital.

“A palavra do secretário da Pampulha me transmitiu certa confiança. Nossa avaliação é que, desta vez, poderemos ter ganhos concretos. Mas é necessário esperar a assinatura de um contrato ou termo para garantir a volta dos barraqueiros”, explica Amanda.

Novos pontos

Futuro. A regional informou que haverá espaço para os 96 barraqueiros cadastrados no acesso Norte (avenida C com Abraão Caran) e no acesso Sul (Carlos Luz com Coronel Oscar Paschoal).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave