Mais velho do mundo morre em Nova York aos 111

Químico e parapsicólogo Alexander Imich nasceu na Polônia; japonesa é a mais idosa com 116 anos

iG Minas Gerais |

Polonês Alexander Imich já estava com a saúde debilitada
Damon Winter / The New York Time
Polonês Alexander Imich já estava com a saúde debilitada

Nova York, EUA. O homem mais velho do mundo, o químico e parapsicólogo aposentado Alexander Imich, morreu em Nova York, nos Estados Unidos, aos 111 anos. Segundo sua sobrinha, ele morreu anteontem em sua casa, em Manhattan.

Karen Bogen, moradora de Providence, em Rhode Island, também nos Estados Unidos, disse que tinha visitado Imich um dia antes e que sua saúde havia piorado nas últimas duas semanas, tanto que ele não foi capaz de reconhecê-la.

Imich nasceu em 1903 em uma cidade da Polônia que, na época, pertencia à Rússia. Ele e a mulher fugiram depois de os nazistas invadirem o local, em 1939. Eles se mudaram para os Estados Unidos em 1951. Sua mulher morreu em 1986.

Imich dizia que seus bons genes e estilo de vida saudável contribuíram para sua longevidade. Ele e a mulher nunca tiveram filhos – o que, segundo agirmou em uma entrevista ao jornal “The New York Times”, isso pode ter ajudado (seu parente mais próximo é um sobrinho de 84 anos, Jan Imich, que vive em Londres, no Reino Unido). “Eu era ginasta. Corria bem, saltava bem. Era bom de dardo e de nado”, afirmou ao jornal.

Seus cuidadores revelaram que ele gostava de bolinhas de matzá (biscoito), gefilte (bolinho de peixe), canja, biscoito Ritz, ovos mexidos, chocolate e sorvete.

Atual. A produção do livro dos recordes, o Guinness, investiga a afirmação de que agora o japonês Sakari Momoi, de 111 anos, é o homem mais velho do mundo. A pessoa mais idosa do planeta é uma mulher, a japonesa Misao Okawa, de 116 anos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave