Entidades pedem à Dilma um ministro negro para a vaga de Barbosa

Instituições como Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial e Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes enviaram uma carta à presidente pedindo compromisso com a inclusão

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

José Cruz/ABr
Entidades pedem para que Dilma escolha um ministro negro para a vaga de Joaquim Barbosa

Entidades de defesa da igualdade racial pediram nesta segunda-feira (9) à presidente Dilma Rousseff a indicação de um ministro negro para assumir a vaga que será deixada por Joaquim Barbosa quando o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) deixar o cargo.

O CNPIR (Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial) e a Educafro (Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes) enviaram cartas à presidente em que pedem "compromisso com a inclusão".

"Ficamos felizes com o critério estabelecido pela presidenta quando da aposentadoria da ministra Ellen Gracie, de manter a vaga no Supremo Tribunal Federal para outra mulher, por isso achamos que, com a aposentadoria do ministro Joaquim Barbosa, seja escolhido um jurista negro ou negra", dizem as entidades.

Os grupos também encaminharam, em sigilo, sugestões de candidatos negros com notório saber jurídico -condição para ocupar o cargo de ministro. A lista contém nomes da magistratura federal, estadual, de tribunais superiores, de defensorias públicas e advogados.

Barbosa anunciou sua aposentadoria do STF no mês passado, mas disse ainda não ter data definida para o afastamento oficial. A saída é esperada para o fim do mês. Segundo Barbosa, há um processo burocrático a ser cumprido, que deve levar uns 15 dias.

Dilma deverá bater o martelo sobre o novo ocupante da vaga no STF apenas depois da Copa. Assessores dizem que ela ainda não se debruçou sobre a questão desde o anúncio de Barbosa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave