Titular do momento, Daniel Alves sabe que vacilo pode custar a vaga

Jogador ainda deu 'puxão de orelha' na imprensa ao falar que conceito de titularidade e suplência está equivocado

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA E THIAGO NOGUEIRA |

Daniel Alves sabe que não pode dar mole
DOUGLAS MAGNO/O TEMPO
Daniel Alves sabe que não pode dar mole

Teresópolis (RJ). A disputa por uma vaga para ocupar a lateral-direita da seleção brasileira segue acirrada, mas para Daniel Alves não existe competição e sim um relacionamento sadio com seu concorrente Maicon. Na mentalidade do jogador, o futebol mundial ainda conserva uma ideia errada sobre o conceito de titularidade e suplência. Dentro da seleção brasileira todos fazem parte de um grupo.

“Não me considero o titular, volto a insistir, a gente está um pouco atrasado com este quesito de titular, reserva. Todos fazem parte do grupo, todos têm condições de atuar. Estou há seis anos na seleção e são seis anos de luta, de tentar brigar pelo meu espaço. Mas estou aqui sempre visando o coletivo. Compartilhar este momento com o Maicon vai ser uma experiência maravilhosa”, afirmou.

Apesar do discurso politicamente correto, Daniel Alves salientou que o respeito entre os jogadores aumenta as cobranças pessoais por boas atuações. Neste quesito, o jogador sabe que um vacilo pode custar a vaga entre os 11 de Luiz Felipe Scolari.

“Este respeito faz com que a seleção ganhe com isto. Faz com que as pessoas estejam ali atuando, jogando, sempre atentos, mais concentrados do que o normal. Um vacilo você pode deixar de ser a primeira opção”, concluiu.