Servidores estaduais da saúde acampam na porta do João XXIII

Categoria pressiona para que as pautas de reivindicações sejam cumpridas; negociações, de acordo com o sindicato não têm andado

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Servidores estaduais da saúde, há 14 dias em greve, iniciaram um acampamento, na manhã desta segunda-feira (9), na porta do Hospital de Pronto-Socorro (HPS) João XXIII, no bairro Santa Efigênia, na região Leste de Belo Horizonte.

“O Governo não apresentou nenhuma proposta concreta na última reunião que tivemos, apenas nos ameaçando, exigindo o fim da greve para negociar”, justificou o diretor do Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG), Renato Barros.

A categoria entrega à população cartas abertas explicando a necessidade de paralisação de 70% dos serviços. Nesta terça-feira (10), haverá uma assembleia geral, no pátio das Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para definir os rumos do movimento. “Dos 22 hospitais, 15 estão paralisados”, completou Barros.

O grupo pede uma revisão do plano de carreira, redução da jornada de 40 para 30 horas, reajuste salarial de pelo menos 15% para repor as perdas acumuladas e isonomia para os servidores que atuam no Hemominas e na escola de saúde pública, passando o vale alimentação de R$ 10 para R$ 15.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) foi procurada pela reportagem, mas ainda não se pronunciou sobre assunto.  

Leia tudo sobre: manifestaçãoacampamentoservidoressaúde