Bernard deixa de lado futuro incerto por foco total na Copa

Meia-atacante de 21 anos estaria na mira do futebol inglês; enquanto isto, Atlético ainda tenta liberação de quantia relativa à transferência para o Shakthar

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Bernard diz que seu pensamento está totalmente voltado para a Copa
Rafael Ribeiro/CBF
Bernard diz que seu pensamento está totalmente voltado para a Copa

Teresópolis (RJ). Com a crise política na Ucrânia, o futuro de Bernard no Shakhtar Donetsk permanece indefinido. Contratado a peso de ouro, o jogador vem recebendo poucas oportunidades no clube do leste europeu e sua participação na Copa deste ano chegou a ser colocada em dúvida. Apesar das especulações relativas a uma possível transferência pós-Mundial, o jogador preferiu deixar seu ‘destino’ nas mãos dos agenciadores de sua carreira. De acordo com Bernard, todos os seus pensamentos nos próximos dias estarão voltados exclusivamente para a Copa. 

“Em relação ao futuro, não vou comentar. Estou bastante focado na Copa. Dentro da minha carreira é o auge. Quero absorver tudo que posso deste momento. Quero amadurecer, posso tirar muitas coisas aqui dentro. O que vai acontecer depois da Copa eu já na sei. Não estou pensando em nada relativo a isto. A minha parte eu vou fazer dentro de campo”, afirmou.

Bernard estaria na mira de clubes do futebol inglês, entre eles o Manchester City. Segundo informações da imprensa britânica, os Citizens estariam dispostos a pagar 40 milhões de euros (cerca de R$ 122 milhões) para contar com o futebol do “Bambino de Ouro”. Enquanto isto, o Atlético segue em sua batalha nos bastidores para liberar o valor da transferência do jovem meia-atacante da seleção brasileira para o futebol ucraniano.

Aproximadamente R$ 54 milhões foram retidos pela Receita Federal devido a dívidas fiscais acumuladas pelo clube ao longo dos anos. O Galo fez uma proposta para o governo e aguarda uma resposta, sem data para sair. Preocupado, o presidente Alexandre Kalil chegou até mesmo a pedir auxílio da presidente Dilma Rousseff e do PT para viabilizar a liberação da quantia.