Mesmo com a determinação da Justiça, greve dos metroviários continua

A exemplo do que vem ocorrendo desde a última quinta-feira (5), a circulação dos trens do Metrô é parcial, dificultando a ida ao trabalho

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

SP - GREVE/METRÔ/SP - CIDADES - A Estação Corinthians-Itaquera da CPTM, na zona leste   de São Paulo, que está fechada para embarque e   desembarque, foi invadida por passageiros exaltados   nesta quinta-feira (05). Enquanto durar a greve dos   metroviários a estação deve permanecer inoperante. Os   funcionários do Metrô rejeitaram a proposta de 8,7%   oferecida pela empresa, assim como o vale-refeição de R  $ 290 (hoje é de R$ 247). O TRT havia sugerido aumento   de 9,5% e R$ 320 de vale-refeição. Os metroviários   pedem reajuste de 16,5% e dizem que não voltam a   trabalhar se não houver uma oferta de ao menos 10%. O   Metrô tem cerca de 9,7 mil funcionários.    05/06/2014 - Foto: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO galeria
ESTADÃO CONTEÚDO
SP - GREVE/METRÔ/SP - CIDADES - A Estação Corinthians-Itaquera da CPTM, na zona leste de São Paulo, que está fechada para embarque e desembarque, foi invadida por passageiros exaltados nesta quinta-feira (05). Enquanto durar a greve dos metroviários a estação deve permanecer inoperante. Os funcionários do Metrô rejeitaram a proposta de 8,7% oferecida pela empresa, assim como o vale-refeição de R $ 290 (hoje é de R$ 247). O TRT havia sugerido aumento de 9,5% e R$ 320 de vale-refeição. Os metroviários pedem reajuste de 16,5% e dizem que não voltam a trabalhar se não houver uma oferta de ao menos 10%. O Metrô tem cerca de 9,7 mil funcionários. 05/06/2014 - Foto: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO galeria

Apesar de o Tribunal Regional do Trabalho ter considerado a greve abusiva, os metroviários continuam parados na cidade de São Paulo pelo quinto dia seguido. A exemplo do que vem ocorrendo desde a última quinta-feira (5), a circulação dos trens do Metrô é parcial, dificultando a ida ao trabalho, principalmente, para quem mora na zona norte da cidade, região que tem menos alternativas em relação às demais.

Na Linha 1 Azul, que liga a zona norte à região sul e permite a interligação com os ramais de outras linhas e da própria Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) para os mais diversos pontos da cidade, a operação foi mantida entre a Estação da Luz e o Paraíso. Na estação vizinha, a Ana Rosa, a caminho da zona sul, por volta das 6h30, mais uma vez um grupo de manifestantes causou tumulto, interditando a Rua Vergueiro, no sentido centro. A Polícia Militar foi acionada e dispersou os manifestantes com o uso de bomba de gás lacrimogêneo

A Linha 2 Verde opera no trecho entre o Paraíso e a Estação Clínicas; a Linha 3 Vermelha, entre o Bresser, na Mooca, e Santa Cecília; a Linha 4 Amarela, operada pelo setor privado, funciona normalmente e a Linha 5 Lilás, no bairro de Santo Amaro, também opera normal. O mesmo ocorre em relação aos trens da CPTM.

Leia tudo sobre: metroviáriosgrevemanifestaçãoparalisaçãosão pauloTRTabusoMetrôtrem