Cidades históricas têm fé que turistas da Copa vão “esticar”

Rede hoteleira aposta também em movimento de inverno e do Dia dos Namorados

iG Minas Gerais | thaís pimentel |

Previsão. Setor hoteleiro de Ouro Preto espera que a lotação de hotéis e pousadas chegue a 60% neste mês
Ronald Peret divulgacao
Previsão. Setor hoteleiro de Ouro Preto espera que a lotação de hotéis e pousadas chegue a 60% neste mês

As cidades históricas próximas a Belo Horizonte pretendem aproveitar a esperada “invasão” de turistas durante a Copa do Mundo. Mais de 390 mil pessoas são esperadas para os jogos no Mineirão. “Nós temos a expectativa de receber, pelo menos, 50% dos visitantes que estiverem na capital”. É o que aposta o secretário de cultura e turismo de Mariana, Antônio Delfonso. Porém, não há sinal de que os 25 hotéis e pousadas do município hospedem esses turistas em junho.

“Nós estamos preparados, mas pela proximidade com a capital, não sabemos se os turistas vão optar por ficar aqui. Nenhum estabelecimento informou se a demanda dessas semanas é por causa da Copa. É certo que os hotéis vão ficar cheios por causa do feriado de Corpus Christi”, disse o secretário. Em Ouro Preto, a expectativa é de que a ocupação chegue a 60% no mês de junho – 16 pontos percentuais a mais que o registrado no mesmo período de 2013. São mais de cem pousadas e hotéis na cidade e nos distritos de Lavras Novas, Cachoeira do Campo e Santo Antônio do Leite. “Por enquanto, a procura foi pouca. A gente espera que dê uma melhorada agora, mas confesso que esperava mais”, desabafa o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Regional Circuito do Ouro (ABIH), Antônio Santos. As diárias variam de R$ 75 a R$ 546. Em Tiradentes, no Campo das Vertentes, o setor hoteleiro não espera que a Copa do Mundo influencie o movimento no mês de junho. “A temporada tem sido boa. A expectativa é de ocupação total nos fins de semana. Isso por causa do inverno e do Dia dos Namorados”, disse uma funcionária da pousada Três Portas. Já a antecipação das férias escolares não é vista com bons olhos por alguns estabelecimentos. “As reservas têm sido poucas. Como o recesso vai acontecer do dia 12 de junho a 13 de julho, ficou ruim pra nós”, desabafa a recepcionista da pousada Mãe D'Água, Simone Nascimento. Em Tiradentes, a maioria das pousadas cobra por fim de semana (entrada na sexta e saída no domingo). Os valores variam entre R$ 230 e R$ 680. A vizinha São João del Rei também não acredita que a Copa do Mundo vá provocar lotação nos 51 hotéis da cidade. “Nós estamos esperando é o encontro de moto que acontece no fim de junho. Já não há mais reservas pra esse período”, conta Aparecida Mosqueira, recepcionista do hotel Colonial. Em Congonhas, na região Central, terra dos 12 profetas de Aleijadinho, os dez hotéis e pousadas não devem lucrar com a competição. “Não vai sobrar nada pra nós. Acho difícil o torcedor se hospedar aqui. Para mim, está pior do que no ano passado”, lamenta o gerente do hotel Colina, Raimundo Miranda.

Expectativa Lotação. Setor hoteleiro de Ouro Preto espera que a lotação dos hotéis e pousadas chegue a 60% no mês de junho. No mesmo período de 2013, 44% dos leitos foram ocupados na cidade.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave