PSDB acusa Dilma de tentar 'fazer mineiro de bobo'

Tucano Marcus Pestana diz que não há recursos federais nas obras que a presidente inaugurou

iG Minas Gerais | Da Redação |

Pouco tempo depois de a presidente Dilma Rousseff (PT) deixar Belo Horizonte na tarde deste domingo (8), o PSDB de Minas Gerais divulgou nota para dizer que as obras para a Copa anunciadas pela presidente "não têm recursos do governo federal, ao contrário do que ela dá a entender". O PSDB-MG, presidido pelo deputado federal Marcus Pestana e liderado pelo pré-candidato ao Planalto senador Aécio Neves, diz que Dilma, "mais uma vez, tenta fazer os mineiros de bobos, ao propagar que é a responsável pelas obras de mobilidade urbana na capital". A crítica tucana se deve ao fato de a presidente destacar sempre a parceria do governo federal nessas obras e ainda ter desdenhado das gestões do PSDB no Planalto entre 1995 e 2002, dizendo que não foram feitos investimentos em mobilidade como faz a sua gestão. "Na verdade, essas obras estão sendo feitas com recursos próprios da prefeitura de Belo Horizonte e do governo do Estado. Os valores que a presidente diz que direciona para as obras vêm da Caixa Econômica Federal, na forma de empréstimos, que deverão ser quitados pela prefeitura, com juros." Ao dizer que investe em mobilidade em parceria com a prefeitura de BH e também com o governo do Estado, a presidente aproveitou para cobrar do Executivo mineiro projetos para o metrô de Belo Horizonte. Segundo Dilma, o dinheiro federal está disponível, dependendo apenas dos projetos. O governo minero foi gerido pelo PSDB de 2003 até abril deste ano, quando o ex-governador Antonio Anastasia deixou o cargo para poder se candidatar ao Senado. Desde então, o Estado é governado por um aliado de Aécio, o governador Alberto Pinto Coelho (PP). Na nota, os tucanos também confrontam a fala da presidente na cobrança que ela fez sobre o metrô de Belo Horizonte. "Desde 2003, o governo federal do PT promete fazer a expansão das linhas, mas nada acontece. Na impossibilidade de entregar o prometido, Dilma tenta empurrar o assunto para o governo estadual, eximindo-se de sua responsabilidade e do compromisso assumido reiteradas vezes."