Experiente jornalista chilena exalta qualidades do time de Sampaoli

Jose Antonio Prieto era apenas um dos vários profissionais do país a acompanhar parte do treino na Toca da Raposa II

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Prieto acredita em boa campanha do Chile na Copa
DANIEL OTTONI - WEBREPORTER
Prieto acredita em boa campanha do Chile na Copa

Entre o batalhão de jornalistas que compareceram à Toca da Raposa II para acompanhar o treino do Chile, um jornalista se destacava por esbanjar experiência e tranquilidade. O comentarista da rádio Cooperativa Jose Antonio Prieto era apenas um dos profissionais chilenos presentes que puderam ver apenas 10 minutos de bate bola do time de Jorge Sampaoli.

Tendo a oportunidade de cobrir uma das melhores gerações chilenas de todos os tempos, Prieto acredita no sucesso da equipe na Copa do Mundo.

"Há algum tempo, o time faz bons jogos e mostra consistência. Vencemos, recentemente, Irlanda do Norte e Egito, mas boas apresentações foram feitas contra times ainda mais fortes, como Espanha e Alemanha", mostra, referindo-se ao empate contra a Fúria e a derrota por diferença mínima para os germânicos.

"Contra a Alemanha, o Chile dominou 70% do jogo e foi castigado. Ainda no ano passado, vencemos a Inglaterra por 2 a 0. É um time com ótimos jogadores, que chega com a experiência ganha no último Mundial", afirma.

Para ele, a equipe está ainda mais qualificada pela experiência ganha pelos jogadores nos últimos anos. "Muitos estão em um momento importante na vida de um atleta, com 26, 28 anos. Na última Copa, alguns ainda estavam chegando na Europa para jogar em grandes times e hoje muitos são titulares de equipes importantes do continente. Isso ajuda muito", relata.

Ausência importante

Mesmo com o meio-campo Vidal fora do jogo de estreia, contra a Austrália, Prieto crê em boa campanha do Chile no Mundial. O jogador fará falta, mas o estilo de jogo da equipe poderá sobressair neste momento.

"O forte do time de Jorge Sampaoli é o jogo coletivo. Em seguida, as individualidades aparecem. Acho que ele tem apenas 1% de chance de jogar, o time perde muito sem ele, que ajuda bastante com seu espírito de luta", elogia.