Unha e carne no Barça e na seleção brasileira

iG Minas Gerais |

Parças. 
Neymar e Daniel Alves durante treino da seleção brasileira antes do amistoso contra o Panamá, em Goiânia
Andre Penner
Parças. Neymar e Daniel Alves durante treino da seleção brasileira antes do amistoso contra o Panamá, em Goiânia

Se Robinho foi o tutor de Neymar no Santos, quando o craque iniciou sua carreira profissional no futebol, na seleção brasileira o guru do jogador é outro: Daniel Alves. O lateral direito e o atacante não se desgrudam.Teresópolis (RJ) e São Paulo.

Na preparação do Brasil para a Copa do Mundo, quando se olha para o astro do time, Daniel Alves está sempre por perto. E não é à toa. O camisa 2 do técnico Luiz Felipe Scolari é hoje um dos mais experientes do grupo e um dos poucos que já disputou um Mundial.

Soma-se a isso o fato de que Daniel Alves é também o melhor amigo de Neymar no Barcelona. Há seis anos no time catalão, o lateral foi quem “apresentou” o clube a Neymar, mas principalmente foi seu tutor nos bastidores.

O ambiente no vestiário europeu é liderado por Xavi e há regras para se manter um bom ambiente. As normas foram passadas por Daniel Alves ao craque brasileiro, desde o momento em que ele chegou ao Barça, em 2013.

Daniel explicou a Neymar, entre outras questões, como se portar no Barcelona, a maneira de tratar cada colega de equipe, qual jogador aceita brincadeiras e quem é mais sério no grupo.

Já na seleção brasileira, a adaptação foi mais fácil. Mas nem por isso um se desgrudou do outro, dos treinamentos na Granja Comary às viagens nos ônibus. Quando há atividade em dupla nos treinos, Neymar e Daniel Alves estão sempre juntos. Nos exercícios coletivos, um está sempre próximo do outro. Treinam batidas de faltas juntos.

CONTRA O RACISMO. Os dois jogadores foram recentemente protagonistas de uma campanha publicitária contra o racismo no futebol. Neymar lançou na internet a campanha “Somos todos macacos” em solidariedade ao amigo Daniel Alves.

O lateral comeu durante uma partida do Barcelona uma banana que tinha sido atirada em sua direção por um torcedor do Villarreal. O ato publicitário foi resultado de um acordo entre o camisa 10 da seleção e uma agência de propaganda e repercutiu no país inteiro.

Croatas se animam MATA DE SÃO JOÃO (BA).A dificuldade que o Brasil teve na sexta-feira para vencer a Sérvia animou a Croácia, adversária da seleção na estreia da Copa, na próxima quinta-feira. “A Sérvia mostrou que você pode trazer muitas dificuldades para eles (brasileiros) se jogar bem”, disse o técnico da Croácia, Niko Kovac. A equipe brasileira escolheu os sérvios como adversários do último amistoso antes da estreia no Mundial justamente por ter estilo semelhante ao da Croácia. O técnico croata disse que analisará a partida do Brasil com mais calma nos próximos dias, para verificar o que a Sérvia fez exatamente. Também na sexta-feira, a Croácia enfrentou dificuldades para vencer a Austrália, por 1 a 0, em Salvador, também no último teste. A tônica do discurso da equipe croata é que a seleção brasileira é favorita, mas a pressão em cima da equipe de Luiz Felipe Scolari pode jogar a favor do time europeu. “Já tenho um bom quadro de como podemos enfrentar o Brasil. Só espero que não venham mais lesões”, disse Kovac. No amistoso contra a Austrália, o lateral esquerdo Pranjic machucou o tornozelo e corre o risco de ser cortado da delegação. Ele faria exames ontem para determinar a gravidade da lesão. Pela manhã, segundo o treinador croata, o atleta teve de andar de muletas para não agravar a contusão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave