Ser feliz no sexo depende mais de você, ensinam atrizes pornô

Cuidados com o corpo e a mente são o primeiro passo da realização na cama

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

A atriz Sweetie Bird estrela filmes pornográficos alternativos, só filma com outras mulheres e apresenta um programa
no Canal Brasil
Paula Coradini - Les Chux
A atriz Sweetie Bird estrela filmes pornográficos alternativos, só filma com outras mulheres e apresenta um programa no Canal Brasil

Uma vida sexual saudável, ativa e movimentada é desejo geral da nação – quiçá do mundo. Mas, infelizmente, nesse caso, querer nem sempre é poder. Problemas de saúde, bloqueios psicológicos, preconceitos, pudores e limitações físicas são somente alguns dos fatores que podem atrapalhar essa atividade. A partir de depoimentos de atrizes pornô e especialistas, O TEMPO elaborou um guia com dicas para você melhorar sua vida sexual. Nas páginas a seguir, o leitor confere os conselhos de estudiosos e profissionais da área, além de uma entrevista com o artista plástico norte-americano Brian Steinhoff. Ele propõe uma reflexão acerca do sexo e do pornográfico.  

O primeiro mito a ser desfeito para ficar de bem com o sexo é o que diz respeito à frequência. “As pessoas têm uma diversidade sexual imensa. Uns têm apetite sexual diariamente ou várias vezes por dia. No outro espectro, há pessoas que têm desejo uma vez por ano, e nenhuma das duas significa doença”, declara Sílvia Amaral, pesquisadora do Núcleo de Estudos em Analogias, Metáforas e Modelos na Educação Sexual (Nannes), do Cefet/MG.

A pessoa também deve se sentir confortável com o que faz na cama. “Se você for experimentar, tem que ser prazeroso para você e para seu parceiro”, aconselha Sílvia. Caso queira tentar coisas novas, ela recomenda não tomar decisões por impulso. “A experimentação tem que passar por uma preparação emocional e psíquica. Se você quiser tentar algo novo com o(a) seu(sua) parceiro(a), não imponha. Seja sedutor(a) e dê também a chance de a pessoa não gostar do que está sendo proposto”.

Por último – mas igualmente importante – estão os cuidados com o corpo. Atividade física, alimentação, saúde em dia e higiene pessoal são indispensáveis para manter o sexo em alta. “Imagina que você está em uma prática sexual, resolve fazer uma posição diferente e dá uma cãimbra. Perde a graça!”, constata.

Para a atriz Fabiane Thompson, 30, o mais importante é ter a mente tranquila para fazer o que se tem vontade sem receios e preconceitos. “Isso tem a ver com o que a pessoa tem vontade de fazer, com o que lhe dá tesão. As fantasias, às vezes, assustam as pessoas, então, ter confiança no parceiro para poder fazer exatamente o que tem vontade é importante”, diz. Ela, que faz filmes pornográficos alternativos na produtora Xplastic, também frisa que o prazer sexual deve ser igualmente de homens e mulheres. “As mulheres precisam gozar, isso não é privilégio dos homens. Agradar só o ‘cara’ não tem graça nenhuma”. Apesar de muitos homens e muitas mulheres acharem que o sexo deve ser como nos filmes pornô, Fabiane não esconde as diferenças entre sua profissão e sua vida sexual real. “Nos filmes, não tem como sentir tesão. É muita pressão, não estamos relaxadas e nem fazendo o que estamos com vontade. Você tem que dar ângulo para a câmera, tem tempo para cada coisa, é totalmente diferente. Na vida real não ‘rola’”. E afirma: “Se eu tiver que transar sem gozar, prefiro me masturbar, o que superindico. Você conhece seu corpo, sabe onde quer ser tocada e onde realmente te dá prazer”.

A atriz pornô norte-americana Hailey Morgan, 27, logo frisa a importância da proteção quando se fala em uma boa vida sexual. “Acho que a segurança sempre vem primeiro. Acredito que exames regulares para doenças sexualmente transmissíveis (DST) é extremamente importante, bem como a prática do sexo seguro quando a pessoa estiver fora de uma relação monogâmica. Em segundo lugar vem encontrar parceiros com quem você se conecte bem, já que nem todo mundo é sexualmente compatível”, afirma. Hailey, que mostra suas produções na rede social pornô Pinsex (www.pinsex.com/user/HaileyMorgan), incentiva o uso de brinquedos sexuais para aumentar a libido e o prazer. “Brinquedos sempre são uma forma divertida de apimentar as coisas ou usar sozinho. A mulher que não experimentou um vibrador ainda está perdendo! Ser capaz de se levar ao orgasmo é uma forma de empoderamento. Plugues anais podem dar muitos estímulos extras se colocados antes do sexo ou da masturbação. Realmente intensificam o orgasmo e também são uma boa forma de experimentar se você tiver curiosidade sobre sexo anal e quiser saber um pouco mais antes da primeira vez para se sentir mais confortável”, recomenda.

Sweetie Bird, 32, é atriz e apresentadora de programa da produtora de filmes pornográficos alternativos Xplastic, dançarina burlesca e é formada em jornalismo. Além disso, é defensora aguerrida da independência feminina para a saúde da vida sexual. “Autoestima e autoconfiança são importantes para a mulher e não podem nem devem depender de outra pessoa. Uma vida ativa e plena, com atividades físicas e passatempos gostosos, ajudam a mulher a se encontrar e saber do que ela gosta. Tentar ser uma outra pessoa para satisfazer o outro não é nem gostoso nem saudável”, afirma. Ela, que tem um namorado e só contracena com mulheres, se diz contra as pessoas “comuns” serem pressionadas a ter a mesma performance e o mesmo desempenho das atrizes pornô. “Cada corpo é único e diferente, e uma mulher comum se comparar a alguém que tem o sexo como atividade profissional não é a coisa mais saudável do mundo. Pode-se pensar na pornografia como inspiração, mas não como um guia de como transar”. Sweetie acha válido orientar o outro quanto aos seus desejos. “O ideal seria que o(a) parceiro(a) sexual conseguisse entender todas as nossas necessidades apenas lendo o nosso corpo, mas guiar a pessoa durante o sexo e mostrar a ela o que se gosta também funciona”.

Vanilla de Ville, 43, tem 15 anos de experiência como atriz de filmes pornográficos. Mesmo depois de tanto tempo na profissão, ela ainda se admira do quão aventureiras as mulheres podem ser na cama quando se sentem confiantes e confortáveis. “O que aprendi é que, quando as mulheres têm liberdade de suas inseguranças e das regras sociais, elas podem ser mais aventureiras do que a maioria dos homens”, conta. A atriz, que mantém uma conta na rede social Pinsex (www.pinsex.com/user/VanillaDeVille), considera que o sexo está, sobretudo, na mente. “Medo, nervosismo e insegurança afetam tanto homens como mulheres sexualmente, mas uma mente aberta que está livre dessas preocupações permite que o corpo responda livremente à experiência física”. Ela também defende bons hábitos de higiene e uma boa alimentação para melhorar as experiências sexuais. “A higiene pode parecer óbvio, mas muitas pessoas a ignoram. A falta dela pode não só desestimular o parceiro, como afetar a resposta do corpo, especialmente para as mulheres. Já uma boa dieta te ajuda a melhorar a performance sexual. Além disso, a ingestão de certos alimentos pode mudar o sabor que você tem para o seu parceiro”, revela.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave