Bichos muito ‘bem-assistidos’

Operadoras de saúde têm desde planos básicos até aqueles que incluem exames sofisticados e partos

iG Minas Gerais | thaís pimentel |

Em BH. Veterinária Alessandra Lobo diz que aceita os planos de saúde para fidelizar os seus clientes
Pedro Gontijo
Em BH. Veterinária Alessandra Lobo diz que aceita os planos de saúde para fidelizar os seus clientes

Quando se refere à Lilica, o advogado Leonardo de Oliveira Nunes deixa claro o carinho e o cuidado com um dos membros mais queridos da família: uma cadela da raça westie, de 1 ano. “Ela já enfrentou uma otite, inflamação na pele, e também foi levada à clínica porque achei que estava meio desanimada”, conta, revelando sua preocupação com o animal.

O valor de uma consulta veterinária em Belo Horizonte pode variar entre R$ 70 e R$ 170. Para evitar sustos e garantir os cuidados na saúde dos pets, muitos donos de cães, gatos, pássaros e até pequenos roedores estão optando por fazer um plano de saúde destinado ao bichinho de estimação. A opção mais básica – que dá direito a visitas periódicas ao veterinário, exames laboratoriais e vacinas – não sai por menos de R$ 29,90. “Lilica tem plano de saúde desde quando a compramos, com apenas 3 meses de vida. Vale a pena pelo custo-benefício”, conta Leonardo. A analista de sistemas Elizabeth Santos também optou pelo serviço para cuidar dos dois lhasa apso que dividem o apartamento com ela e o marido. “O Kevin tem 13 anos, e a Tuca tem 6. Essa cobertura inclui exames e vacinas, o que é uma segurança para a gente”, defende ela. A Dog Life, uma das poucas operadoras que trabalham em Minas Gerais, oferece as opções Pet Soft, Pet Standard, Pet Smart e Pet Master. Essa última modalidade dispõe de consultas em casa, exames, vacinas, diagnóstico por imagem, eletro e ecocardiograma, radiografia, ultrassonografia, anestesias, oxigenioterapia, fluidoterapia, internação, cirurgia, tratamento odontológico, assistência pré-natal e ao parto, além de sessões de acupuntura. Pelo site da empresa (www.doglife.com.br), é possível fazer uma simulação. Caso você tenha uma cadela da raça são-bernardo e queira dar a ela o plano mais completo, o valor mensal sai por R$ 170. Se o seu pet for um gato siamês e a sua intenção for a opção Pet Soft, o preço cai para R$ 29,90. Novidade. As Lojas Americanas também resolveram apostar nesse mercado e lançaram o plano Pet+Saúde (www.americanas.com.br/planopet), nas modalidades Básico (R$ 14,99 por mês), Padrão (R$ 19,99 por mês) e Completo (29,99). Não há cobertura total, mas a empresa oferece descontos em transporte emergencial, internação, consulta, serviço funerário, cirurgia e até orientação jurídica por telefone, em caso de processo. 

Jazigo chega a custar R$ 1.200 Quando o animal de estimação morre, a família precisa decidir o que fazer com o corpo do bichinho. Uma das alternativas é o Cemitério dos Animais, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Criado em 1998, ele já conta com mais de 3.000 jazigos, cada um custando R$ 1.200. O preço da cremação pode variar entre R$ 450 e R$ 990. O sepultamento coletivo sai por R$ 520.

Estimativas Há 37 milhões de cães de estimação no país Mais de 21 milhões de gatos vivem nos lares brasileiros 26,5 milhões de peixes estão em aquários domésticos 19,1 milhões de aves vivem em gaiolas brasileiras Fonte: Assoc. Bras. da Ind. de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet)

Poder do setor Brasil é a 4ª maior nação do mundo em população total de animais de estimação e a 2ª em cães e gatos, perdendo apenas para os Estados Unidos Em 2013, o mercado pet faturou R$ 15,2 bilhões no país – valor que representa um aumento de 7,3% em relação ao ano anterior Setor representa 0,31% do PIB nacional, à frente de geladeiras e produtos de beleza

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave