“A luta dos servidores reforça a luta de todos”

Fidélis Alcântara Pré-candidato ao governo de Minas pelo PSOL

iG Minas Gerais |

Você é pré-candidato ao governo de Minas pelo PSOL, mas também foi para as ruas por meio do Comitê de Atingidos pela Copa em Belo Horizonte, ou seja, conhece o perfil dos protestos. Como analisa a participação dos sindicatos nas ruas neste ano?

Eu acho muito importante essas mobilizações. Precisamos lembrar que o funcionalismo público está sendo deixado de lado. O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), tirou R$ 500 milhões da educação para colocar na Copa, e os Estados e prefeituras estão comemorando as Fan Fests da Fifa, que vão consumir milhões dos cofres públicos. Isso não vai trazer retorno para a população, nem vai melhorar os salários e a condição dos servidores. Acho justo que eles vão para as ruas.

Com a participação dos sindicatos, a sociedade civil terá um ganho de força na hora de protestar?

A luta dos servidores reforça a luta de todos. Eles acrescentam porque têm uma pauta definida e conhecem de dentro os problemas da saúde, da educação e da segurança. Isso qualifica cada vez mais nossa luta. Se todos ficarem juntos, teremos muitos frutos positivos para colher.

Nos últimos anos, os sindicatos não tiveram participação maciça nas ruas. A que se deve essa volta?

Eu acho que o movimento sindical tem ciclos. Existem os momentos de baixa e os momentos de alta. As condições de hoje são boas para uma retomada dos sindicatos. É ano da Copa do Mundo e de eleição. Os servidores públicos perceberam que, se tem dinheiro para gastar com futebol, tem também para melhorar os serviços públicos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave