Todos querem o amor

Rafael Cortez busca sucesso na Record em uma fórmula já conhecida do público, com o programa “Me Leva Contigo”

iG Minas Gerais | anna bittencourt |

À vontade. Rafael Cortez demonstra estar mais tranquilo no comando do “Me Leva Contigo”
ANTONIO CHAHESTIAN
À vontade. Rafael Cortez demonstra estar mais tranquilo no comando do “Me Leva Contigo”

Os programas de televisão de namoro são um clichê que nunca sai de moda. Desde os extintos “Namoro na TV”, “Beija Sapo”, “Em Nome do Amor” e “Fica Comigo”, esse tipo de produção tem um público cativo. Seja pelo interesse na vida do outro, pelo prazer do constrangimento de ver a carência alheia ou só para assistir a uma produção que não exija que o telespectador, de fato, preste atenção.

Apostando nesse nicho, Rafael Cortez foi designado para apresentar o “Me Leva Contigo”, formato trazido da Holanda pela Record. Sem emplacar um sucesso desde que deixou o “CQC”, na Bandeirantes, para mudar de emissora, Cortez procura se sair melhor do que nas frustradas tentativas como apresentador do “Got Talent Brasil” e ator no especial “Nova Família Trapo”.

Mais confortável do que nas produções anteriores, o apresentador ainda não perdeu o estilo “engraçadinho”. Faz piadas e trocadilhos a todo momento. Mas sua postura não compromete o andamento do programa. Até porque Cortez precisa deixar o egocentrismo – comum dos apresentadores – de lado para permitir que as participantes e candidatas a um novo amor se destaquem para seus pretendentes e também para os espectadores. Muito à vontade, ele parece ter encontrado uma produção que o instiga, de alguma forma.

Comparando o “Me Leva Contigo” aos quadros ainda existentes, como em “Eliana” e “Hora do Faro”, o programa de Cortez leva certa vantagem. O cenário é bem produzido e o esquema de luzes quentes lembra o clima de uma boate. Apesar disso, não foge do usual. Trinta solteiras avaliam um candidato a namorado e podem apertar um botão para conversar mais intimamente com ele. No caso em que duas ou mais participantes mostram interesse, é o rapaz quem deve escolher com quem prefere conversar. O maior pecado do programa é não dinamizar o processo de apresentação do candidato. Um vídeo é exibido para cada homem que procura uma namorada. O processo é entediante.

Por mais batido que “Me Leva Contigo” seja, Rafael Cortez se sai bem. Com um dia e horário complicado – as noites de sexta são difíceis de emplacar um sucesso –, o programa tem garantido a vice-liderança, com média de sete pontos no Ibope. A direção da emissora parece estar feliz com o casamento entre o apresentador e o formato.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave