Fifa não trata de corrupção e só fala de condição de trabalho no Catar

Encontro dos principais dirigentes do órgão discutiu as iniciativas prometidas pelo país árabe de melhoria na qualidade de vida dos operários das obras da Copa

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Em meio a uma avalanche de denúncias de corrupção na escolha da sede da Copa do Mundo de 2022, o comitê executivo da Fifa resolveu discutir apenas uma questão ligada ao Catar, a situação dos trabalhadores do país.

Segundo comunicado emitido pela entidade, o encontro dos principais dirigentes do órgão, neste sábado (7), discutiu as iniciativas prometidas pelo país árabe de melhoria na qualidade de vida dos operários que trabalham nas obras do Mundial.

A Fifa disse ainda que irá enviar uma delegação ao Qatar ainda neste ano para vistoria as condições de trabalho. A entidade tem sido alvo de vários sindicatos internacionais de trabalhadores, que cobram que a instituição utilize sua força política para melhoras as condições sociais dos operários.

Segundo o jornal britânico "Guardian", as obras de infraestrutura do Mundial já haviam matado 382 pessoas até o fim do ano.

Já o assunto mais aguardado envolvendo o Catar acabou deixado em segundo plano. "O comitê executivo reafirmou sua posição de deixar o comitê de ética completar seu trabalho antes de fazer qualquer comentário", diz trecho da nota enviada pela Fifa. O comitê de ética é um órgão independente da Fifa, sediado nos Estados Unidos, e presidido pelo promotor Michael Garcia.

Encarregado da investigação, ele promete entregar seu relatório sobre o caso em seis semanas. As suspeitas sobre compra de votos no processo seletivo que escolheu o Catar como sede do Mundial-2022 voltaram à tona na semana passada quando o jornal britânico "Sunday Times" publicou que um ex-alto dirigente de futebol do país gastou US$ 5 milhões (R$ 11,1 milhões) para conseguir o apoio à candidatura.

Sobre a próxima Copa do Mundo, que começa na próxima quinta-feira (12), o comunicado diz apenas que o comitê executivo "reafirma sua total torcida e confiança de que o Brasil irá organizar" um grande evento.

Inicialmente, as reuniões do comitê executivo estavam previstas para continuar no domingo (8). No entanto, o órgão encerrou sua agenda de discussões já neste sábado e cancelou seu novo encontro.

Leia tudo sobre: copa 2022catarcopa do mundofifatrabalhoexploraçãocorrupçãocompra de votos