Escultura rejeitada para o Itaquerão ficará perto do aeroporto

Batizada de "Cavaleiro Fiel", imagem de São Jorge deveria ficar próximo ao estádio corintiano, mas prefeitura irá inaugura-la no local esta semana

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Escultura foi criada por torcedor corintiano e doada ao clube paulista
Divulgação
Escultura foi criada por torcedor corintiano e doada ao clube paulista

A escultura de 25 metros inspirada em São Jorge criada para ficar no Itaquerão, estádio do Corinthians e que receberá a abertura da Copa na próxima quinta-feira (12), ficará a mais de 20 km do palco de Brasil x Croácia.

Após a recusa do Corinthians em deixar a obra na arena, alegando que não estava no projeto, a prefeitura de Guarulhos decidiu que colocará a escultura, batizada de "Cavaleiro Fiel", em uma praça às margens da rodovia Hélio Smidt, a poucos quilômetros do aeroporto internacional de Cumbica, principal porta de entrada de estrangeiros na cidade de São Paulo.

"Será uma praça que receberá também outras esculturas minhas, como bustos que fiz para alguns dos craques que jogarão essa Copa. Todas as pessoas que saírem do aeroporto com destino a São Paulo verão as obras, principalmente o 'Cavaleiro Fiel'", disse o escultor Gilmar Pinna, 55, que fez a obra para doá-la ao Corinthians.

O clube informou que tentava viabilizar um local próximo ao Itaquerão para que a obra fosse colocada. Pinna resolveu não esperar e aceitou neste sábado (7) a proposta da prefeitura de Guarulhos, cidade onde fica o seu estúdio.

Pinna já está desmontando a escultura para transportá-la até a praça, onde será remontada. Os custos de transporte e montagem serão bancados pela prefeitura e a inauguração está prevista para a próxima quarta-feira (11), véspera do jogo de abertura no Itaquerão.

"Estou triste porque havia um acordo para colocá-lo no estádio do Corinthians. Mas a estátua estará exposta em um local que muitas pessoas poderão vê-la", disse Pinna, que é corintiano e teve o nome dado em homenagem ao ex-goleiro Gylmar dos Santos Neves, ídolo do Corinthians nos anos 1950 e 1960.

Ele disse ter gasto mais de R$ 1 milhão para construir a estátua. Teve ajuda de uma empresa estrangeira, que cedeu o material –aço inox.